Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

CGD reforça presença em Moçambique

Após um acordo bilateral assinado hoje entre José Sócrates, primeiro-ministro português e o presidente moçambicano Armando Emílio Guebuza, a Caixa Geral de Depósitos (CGD) vê reforçada a sua presença em Moçambique, refere a Lusa.

Na sequência de uma visita do primeiro-ministro português a Moçambique, o acordo foi assinado em Maputo e vai permitir ao banco do Estado português ampliar a sua linha de crédito de 200 para 400 milhões de euros, destinados ao investimento em território moçambicano.

Esta ampliação tem como destino o financiamento de projectos de investimento em infra-estruturas, bem como em empresas nas mais diversificadas áreas, da energia aos transportes, passando pela saúde e educação, formação de capital humano, e ainda no fornecimento de equipamentos e serviços de origem portuguesa.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.