“O problema da liberdade de informação tornou-se central”

Publicado no “Le Nouvel Observateur” nº 555 na segunda-feira, 30 de junho de 1975

Edgar Morin e “l’Obs”, uma longa história de amizade

Edgar Moran participa desta edição do fórum Repubblica diário português : Este jornal filiado ao Partido Socialista foi proibido por seus impressores após um artigo anticomunista. Jacques Fauvette, Diretor da “Mond”, responderei Em 1 de julho de 1975 em suas memórias para Edgar Moran.

plataforma. liberdade revolucionária

por Edgar Morin

O caso Repubblica não é apenas um indício das lutas internas em que está em jogo o destino da Revolução portuguesa. Também revela nossas habilidades especiais para analisar o problema da liberdade de imprensa e localizá-lo social e politicamente.

Assim, o que aqui se revela, entre aqueles que se dizem esquerdistas, é – tanto no silêncio como no comentário – a impotência perante a alternativa que impõe uma escolha entre o processo revolucionário e a liberdade de imprensa. Um editorial recente no Le Monde, Révolution et Liberté, é um exemplo muito representativo da estrutura do pensamento paralítico porque, em suas próprias premissas, constitui uma pobre coexistência entre:

– um princípio liberal que reconhece a violação das liberdades;

– Um princípio progressista que submete a liberdade de expressão à vitória da revolução.

Digo “coexistência suave” porque a expressão do liberalismo se tornou muito tímida e cautelosa.

Para ler os 89% restantes,
Teste a oferta a 1 € sem compromisso.

READ  Damian Bellisier, gerente de compras da New Arval

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *