Fique calado ou diga a verdade?

O chefe de estado sempre tem que dizer a verdade crua? Sábado, Joe Biden reconheceu oficialmente a existência de um genocídio turco contra os armênios.

Não há historiador sério que negue que os turcos cometeram tal genocídio.

Mas é certo que Joe Biden faça esse tipo de afirmação? Porque Biden está condenado a discutir com o presidente turco. Esse tipo de condenação não cria uma atmosfera para um debate amigável.

É verdade que em 2019 o Congresso dos EUA votou para declarar o reconhecimento do Genocídio Armênio. Seus porta-vozes disseram que Donald Trump mais tarde se recusou a reconhecer esse genocídio, para preservar as boas relações entre a Casa Branca e a Turquia.

Certamente, Erdogan usará a declaração de Biden para reforçar sua popularidade vacilante em nome da defesa da honra da Turquia.

Em Ancara, a declaração está sendo interpretada como uma indicação de que os Estados Unidos podem romper os laços com a Turquia.

Depois de admitir publicamente que Vladimir Putin é um assassino e explicar que Xi Jinping não tem sentido democrático nele, quem será o próximo alvo de Biden? Príncipe herdeiro da Arábia Saudita?

A triste verdade é que em um mundo dominado por ditaduras, o presidente dos Estados Unidos não pode contar a todos os líderes de suas quatro verdades sem se arriscar a se tornar persona non grata nas reuniões internacionais.

Um gesto político sério

Insultar outro chefe de estado em público é sempre um negócio perigoso. Às vezes, um gesto político é necessário, mas não mostra a verdade com rigor.

Dado o amor de Trump pelos ditadores e sua má cultura de mentir, os comentários de Biden são bem-vindos, mesmo que sejam apenas para demarcar sua administração da era Trump e devolver aos Estados Unidos alguma supremacia moral.

READ  Antártica: terremoto de magnitude 7 gera alerta de tsunami

Enquanto esses comentários de Biden permanecerem focados e escassos, eles podem ser analisados ​​como parte de um amplo contra-ataque projetado para esmagar a propaganda não democrática.

Na verdade, muitas ditaduras, começando pela China, estão tentando se apresentar como uma alternativa razoável à democracia. Eles também estão tentando impedir o resto do mundo de julgar os crimes que cometem em suas terras.

A posição moral, não política

O problema é que a declaração de Biden sobre Putin parecia espontânea. O presidente Xi não estava tentando estabelecer um equilíbrio de poder. O caso do genocídio turco teve como alvo especificamente o Império Otomano, não a Turquia de hoje.

Assim, Biden se coloca com base na moralidade, não com base na política. No entanto, nenhum chefe de estado pode limitar suas declarações na área da moralidade.

As declarações morais de Biden encantaram muitos apoiadores democratas. Mas pode ser contraproducente internacionalmente rapidamente se aumentar.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *