Estados Unidos: sem elevar o teto da dívida, o risco de inadimplência

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, alertou na sexta-feira que o Tesouro dos EUA terá que tomar “medidas extraordinárias” para evitar o calote se o teto da dívida não for aumentado ou suspenso até 2 de agosto, e instou o Congresso dos EUA a agir.

• Leia também: Os canadenses estão ansiosos para colocar os pés nos Estados Unidos

• Leia também: Mississippi pede a abolição do direito ao aborto nos Estados Unidos

• Leia também: Uma menina de 10 anos morre de peste nos Estados Unidos

“Se o Congresso não suspender ou aumentar o limite da dívida até segunda-feira, 2 de agosto de 2021, o Tesouro precisará começar a tomar algumas medidas extraordinárias adicionais para evitar que os Estados Unidos deixem de cumprir suas obrigações”, ameaçou Janet Yellen em uma carta para funcionários eleitos do Congresso.

Em agosto de 2019, o teto da dívida foi elevado por acordo entre o ex-presidente Donald Trump e os democratas eleitos no Congresso, até 31 de julho de 2021.

Após esta data, a maior economia do mundo não poderá pedir dinheiro emprestado, ou correr o risco de inadimplência, o que nunca aconteceu e terá consequências financeiras terríveis. Também há temores de um “desligamento”, paralisação dos serviços estaduais federais.

Pare de emitir cupons locais

A emissão de cupons locais será temporariamente suspensa a partir de 30 de julho.

Elevar ou suspender o teto da dívida não aumenta os gastos públicos, nem permite gastos com futuras propostas orçamentárias, apenas permite que o Tesouro pague os gastos já adotados, explicou Janet Yellen em sua carta.

Afirma que “o atual nível de endividamento reflete o efeito cumulativo de todas as decisões tomadas, em matéria de despesas e tributação, pelas respectivas administrações e pelo Congresso ao longo do tempo”.

See also  Sea level rise will reach 30 cm on US coasts by 2050

“O não cumprimento desses compromissos causaria danos irreparáveis ​​à economia americana (…). Você lembra que apenas ameaçar não honrar esses compromissos já teve efeitos negativos no passado, incluindo o único rebaixamento” da classificação do país.

Em 2011. Dívida.

O assunto é um tema recorrente na vida política americana. Assim, desde 1960, o Congresso já agiu 78 vezes para elevar ou suspender esse limite de endividamento, detalha o Ministério da Fazenda em seu site.

A dívida dos EUA é de US $ 28,555 bilhões, de acordo com usdebtclock.org.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published.