França a tempo de alcançar a Bélgica

Grande oportunidade de nos redimirmos. Enquanto a possibilidade de uma Copa do Mundo bienal fala muito, a proliferação de competições internacionais tem pelo menos uma vantagem: a chance de se recuperar rapidamente após o fracasso. Três meses após a derrota para a Suíça nas oitavas de final da Euro (3-3, 4-5 nas guias), os Blues enfrentam a Bélgica na quinta-feira, 7 de outubro, nas semifinais da Liga das Nações (8: 45 pm).

O objetivo: deixar de lado um resultado ruim do Campeonato Europeu e ir para um título internacional neste fim de semana das finais, em uma competição que começou em setembro de 2020. Suécia e os azuis dominaram Turim na quarta-feira em razão dos campeões europeus. Com a ambição de levar o primeiro lugar, e ser melhor que belgas, espanhóis e italianos na conquista do troféu neste domingo, no estádio San Siro, em Milão.

Didier Deschamps e seus jogadores sonham com isso: “É um arco mágico. Na história das seleções, houve dois títulos (Copa da Europa e Copa do Mundo), e agora existe isso”O treinador festejou quarta-feira durante a conferência de imprensa pré-jogo.

Acima de tudo, esta fase final poderia permitir que os Blues finalmente deixassem para trás o fracasso da eliminação contra o EUR. Desde o retorno das férias, as perguntas em todas as entrevistas coletivas parecem derivar dessa decepção. Na terça-feira em Clairefontaine, eles receberam a visita de “Derlot”, o presidente da Federação Francesa de Futebol, Noel Le Graet, com uma mensagem clara: “Eu peço que você fique animado.”

Se o último teste se definir para Didier Deschamps em pouco mais de doze meses com a Copa do Mundo no Catar, o novo título internacional será um reforço de confiança para todo o grupo. A Liga das Nações não é um Euro nem uma Copa do Mundo. Não impressiona muito as multidões. No entanto, não é parcialmente branco.

See also  Lista de jogadores que Peter Boss não vai manter no Lyon

Sua recompensa não é trivial. Em vez disso, pergunte aos portugueses que venceram a primeira edição em junho de 2019 frente à Holanda (1-0). A atmosfera em torno do blues cheira a fase final, como Hugo Lloris confirmou ontem: “Há algo no ar. Estamos nos preparando para jogar a semifinal contra a Bélgica. Portanto, sentimos que algo está em jogo”.

Antes de sonhar com uma final vitoriosa, a equipe da França ainda precisa responder a algumas perguntas sobre seu nível atual. Depois de não passar no exame das quartas de final em 28 de junho contra a Suíça no Euro, ela não teve muito tempo para jogar. Duas partidas no início do ano letivo contra a Bósnia (1-1) e a Ucrânia (1-1), e uma boa cópia contra a Finlândia (2-0).

Antes de abordar esta última arena entre Torino e Milão, seria ousado dizer que os Blues Deschamps estão mostrando grande certeza. Contra a Finlândia, em Lyon, o Habs jogou com três zagueiros sem Kylian Mbappe, que esteve muito presente na quinta-feira. Que escolhas o técnico fará no confronto com a Bélgica, primeira seleção do ranking da FIFA?

Se a França se recuperar na quinta à noite, os Red Devils não ficarão lá por muito tempo. A Bélgica, com uma geração de ouro cada vez mais envelhecida, conseguiu conter as decepções dos últimos anos no cenário internacional e está avançando ainda mais no status de repetidores. Mas repita quem tem “boca”, com Romelu Lukaku, Kevin De Bruyne, Eden Hazard e outros jogadores internacionais experientes.

Embora a Liga das Nações pareça uma das últimas chances desta geração de erguer o troféu, a vontade de ir bem certamente será multiplicada por dez com a possibilidade de premiar os Blues que os eliminaram nas semifinais da Copa do Mundo. 2018. Uma atuação que Didier Deschamps espera voltar a conquistar, conhecendo muito bem os territórios em que se desenvolverá a sua seleção na noite de quinta-feira, pois jogou (1994-1999) na Juventus antes de se tornar seu treinador (2006-2007).

See also  Montreal está pronta para repetir essa façanha em Orlando

Por outro lado, o treinador está menos familiarizado com o Estádio da Juventus – “Vim aqui por motivos profissionais”, disse ele – onde a semifinal terá lugar entre França e Bélgica, que servirá como o centro de recuperação para os Blues.

Esperar que o covil de Torino faça melhor do que o Estádio Nacional de Bucareste, onde a seleção francesa foi derrotada pela Suíça em 28 de junho. Antes do exame final em San Siro na noite de domingo?

You May Also Like

About the Author: Lucinda Lima

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *