Anna Maria Cabral, viúva do líder da independência da Guiné-Bissau, testemunha

Postado em:

É um documento exclusivo obtido pela RFI. Cinquenta anos após o regime colonial português ter tentado neutralizar a rebelião da Guiné-Bissau, o Estado-Maior de Libertação da África de Língua Portuguesa da RFI conseguiu falar com Ana Maria Cabral, testemunha da operação. « mar verde », em Conakry, Guiné.

Em 22 de novembro de 1970, um grupo de comando formado por soldados portugueses e oponentes guineenses desembarcou em Conacri, na Guiné. A sua missão: derrubar o regime de Sekou Touré, mas também atacar e eliminar as forças rebeldes guineenses do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde, que se instalaram em Conacri, e eliminá-las.

Metas que não serão alcançadas, Sekou Touré não está em lugar nenhum, e Amilcar Cabral, o líder do grupo rebelde na Guiné-Bissau, não está em Conacri.

Leia também: 1/5: Origem da “Agressão Portuguesa” ; 2/5: Preparativos para Mar Verdi

Anna Maria Cabral, viúva Líder da independência da Guiné-Bissau, Amílcar Cabral, presente em Conacri no momento do ataque à delegação do partido africano, olha para o acontecimento, ao microfone de Miguel Martins.

« Evitamos por pouco a morte. Estávamos dormindo e esse barulho me acordou. Fui acordar meus filhos. Nossa casa foi atingida por uma bomba que caiu em nosso banheiro. A casa inteira tremeu. Mal tive tempo de chamar os guardas que chegaram e falavam “sai, sai, sai »

« Fugimos e nos refugiamos na mata até de madrugada. Como a embaixada vietnamita não ficava longe, alguns camaradas se refugiaram ali, mas naquela época a União Soviética ainda existia, tendo uma enorme embaixada chamada “Pequena Moscou”, acabamos nos refugiando ali, porque os vietnamitas tinham instalações muito simples. Eles não tiveram a possibilidade de nos receber. Nossa casa sofreu muitos danos. »

Leia também: 3/5: Batalha de Conakry ; 4/5: O enredo da “quinta coluna”. ; 5/5: Emile Cisse, a vítima e o carrasco

See also  Descubra a maior ponte suspensa para peões do mundo inaugurada em Portugal

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published.