Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Dívida: Risco de Portugal é o que mais sobe no mundo

Os seguros contra o incumprimento da dívida portuguesa estavam hoje novamente entre os mais caros do mundo, com Portugal a liderar as subidas a cinco anos e em terceiro lugar no prazo a dez anos.

Os ‘Credit Default Swaps’ (CDS) da dívida soberana portuguesa atingiram às 16:47 o nível mais elevado, avançando 79 pontos base para os 1019,17 pontos, de acordo com a agência de informação financeira Bloomberg.

Isto significa que o investidor teria de pagar um seguro anual de 1019,17 mil euros se fosse detentor de 10 milhões de euros em títulos de dívida portuguesa, a cinco anos.

Na maturidade a dez anos, os CDS de Portugal subiam 25 pontos base para os 743,8 pontos às 16:39, atrás da Venezuela e da Argentina.

Os CDS são os títulos que protegem o investidor do risco de um país não ter capacidade de pagar o empréstimo.

Os juros das obrigações portuguesas estão hoje também mais elevados em todos os prazos do que na segunda-feira, atingindo os 13,011 por cento a dois anos, 12,066 por cento a cinco anos e 10,983 por cento a dez anos, mas ainda longe dos máximos históricos de Julho.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.