Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Economias da OCDE precisam de 17 milhões de empregos

As economias da OCDE precisam de gerar 17 milhões de postos de trabalho para regressar aos níveis de emprego do período anterior à crise, defende um relatório da Organização para a Cooperação Económica e o Desenvolvimento (OCDE) publicado esta quarta-feira e citado pelo Dinheiro Digital.

De acordo com o esperado relatório anual da organização internacional, intitulado «2010 OECD Employment Outlook: Moving Beyond the Jobs Crisis», a taxa de desemprego na região terá aumentado para 8,6% em Maio.

A criação de emprego deve constituir prioridade de primeiro plano para os governos, advoga o secretário-geral da OCDE, Angel Gurría, na apresentação do relatório, defendendo que «taxas de desemprego elevadas não podem ser assumidas como uma nova normalidade nas economias desenvolvidas».

O estudo nota ainda, que os países da OCDE contam actualmente com cerca de 47 milhões de desempregados. Contando com os desencorajados que já deixaram de procurar emprego, o trabalho a tempo parcial e outras situações de precariedade, o número pode chegar aos 80 milhões, adianta o Dinheiro Digital.

LE com Dinheiro Digital

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.