Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Jordânia representa oportunidade para empresas portuguesas

As empresas portuguesas vêem na Jordânia um país a apostar. É naquele mercado que a Efacec, maior grupo eléctrico nacional, opera há dois anos, após ter adquirido a Advanced Control Systems, companhia de engenharia norte-americana, que já lá se encontrava, revela a Lusa.

O interesse das empresas portuguesas na internacionalização dos negócios para Jordânia ficou demonstrado, aquando da visita oficial do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, a este país do Médio Oriente, em Fevereiro de 2008, que contou com a participação de vários empresários de diferentes sectores.

Por parte de Portugal, nas relações com a Jordânia destacam-se o grupo Efacec e a Martifer de energias renováveis, Alert – Life Sciences Computing – tecnologias de informação e comunicação – Reditus (serviços), Marmoz – Companhia Industrial de Mármores de Estarreja, o Grupo Soares da Costa, e a Riopele, sectores da construção e têxteis, respectivamente.

No que toca às importações, a Jordânia fornece, sobretudo, adubos ao mercado português. O maior investimento jordano em Portugal é a farmacêutica Hikma, que opera em Sintra.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.