Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

BPI: banca pode ter dificuldades em financiar economia

O sistema financeiro português pode vir a travar o crescimento económico do país, incapaz de responder às necessidades de financiamento das empresas e particulares, alerta o BPI num relatório de Novembro sobre os mercados financeiros, citado pela agência Lusa.

«Num momento em que a economia está a perder alguns dos seus motores de crescimento dos últimos anos (exportações e investimento), o sector bancário português (…) poderá não dispor dos meios suficientes para manter o ritmo de financiamento à actividade económica, redundando num factor adicional de arrefecimento da economia nacional por via de abrandamento do consumo e do investimento em construção, que vinha revelando sinais de melhoria do desempenho», pode ler-se no relatório do BPI.

«O crédito bancário é uma fonte de financiamento para o sector não financeiro muito mais relevante em Portugal do que noutras economias», nota Cristina Casalinho, economista-chefe do BPI no mesmo documento.

Entre 2000 e 2006, o crédito bancário representava perto de 70% dos meios de financiamento da economia portuguesa, valor que compara com percentagens de 40% em França, perto de 55% na Alemanha e em Espanha, e menos de 20% nos EUA, segundo dados do Banco Mundial citados pelo BPI.

Portugal é o país, de um conjunto de 10, em que a importância do mercado de acções para o financiamento é mais baixo (pouco mais de 20%), segundo os mesmos dados.

Cristina Casalinho considera que «esta dependência» de empresas e particulares do crédito da banca é «particularmente importante« na actual conjuntura, já que Portugal tem um elevado défice externo, que deverá ser de 13% do PIB em 2009, segundo o FMI.

Como a explosão do crédito em Portugal, nos últimos anos, não foi acompanhada por uma forte subida dos depósitos, os bancos portugueses tornaram-se «dependentes« do mercado monetário e de capitais externo, nota a mesma economista.

Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.