Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Exportações da secção de plástico crescem 27,3% em 2006 (Parte II)

Célia Marques

(Artigo publicado na Revista Leiria Global, editada pelo Jornal de Leiria e distribuída com a edição de 12/07/2007 do semanário)

As exportações de Máquinas, Aparelhos e Moldes – embora tendo caído 0,28% face a 2005 – continuam a representar a maior fatia das exportações totais do PL: 28,46 por cento. A maior subida pertence ao Plástico – 27,34 por cento – que representa 20,44 por cento das exportações do PL e 6,9 por cento das exportações desta secção a nível nacional – um acréscimo de 0,7 por cento relativamente ao ano anterior.

Em terceiro lugar no ranking das secções que mais exportam surgem as Obras em Pedra, Gesso, Cerâmica e Vidro, que subiram 9,95 por cento face ao ano anterior, representando 18,38 por cento das exportações do PL e 8,97 por cento do total nacional.

A maior subida percentual pertence, no entanto, à secção dos Produtos de Origem Vegetal: 35,85 por cento, para pouco mais de 17 milhões de euros, representando 2,8 por cento das exportações do PL e 4 por cento das exportações da secção a nível nacional.

Destaque ainda as subidas registadas no Produtos das Indústrias Químicas, Alimentares e Calçado – 32,69; 30,80 e 24,87 por cento respectivamente –, embora estas secções representem apenas 3,9; 1,6 e 3,99 por cento das exportações do PL.

A Marinha Grande assume-se, de forma destacada, como o concelho que mais contribui para as exportações da secção de Máquinas, Aparelhos e Moldes (61,14 por cento), seguindo-se Leiria (30 por cento). O concelho de Leiria, por seu lado, é o que mais exporta Plásticos, sendo responsável por 50% das exportações da secção, seguindo-se a Marinha Grande com 33 por cento. Liderança para o concelho de Leiria também na secção de Pedra, Cerâmica e Vidro (46 por cento), seguido da Marinha Grande (27 por cento), Porto de Mós (12,5 por cento) e Batalha (10 por cento).

A Marinha Grande destaca-se ainda nas exportações de Metais (63 por cento), seguida de Porto de Mós (19 por cento). As exportações de calçado, por seu lado, partem quase na totalidade do concelho de Leiria (95,8 por cento).

Máquinas, Aparelhos e Moldes lideram exportações Extra-UE

Para fora da Comunidade Europeia o Pinhal Litoral vende sobretudo Máquinas Aparelhos e Moldes (39,55 por cento), Pedra Cerâmica e Vidro (14,18 por cento), Plástico (11,52 por cento) e Metais (11,28 por cento). A Marinha Grande lidera as vendas de Máquinas Aparelhos e Moldes no mercado extra-comunitário (68,19 por cento), enquanto as de Pedra Cerâmica e Vidro se repartem, em valores idênticos, entre os concelhos da Marinha Grande, Batalha e Leiria.

Quem vende mais Plástico para fora da comunidade são, curiosamente, os concelhos de Porto de Mós (36,26 por cento) e Pombal (34,26 por cento). Quanto aos Metais exportados para fora da Comunidade Europeia, partem sobretudo da Marinha Grande (62,76 por cento), enquanto o Material de Transporte sai maioritariamente de Leiria (47,61 por cento).

Exportações em Leiria sobem 27,34% em 2006

O concelho de Leiria é, entre os cinco que integram o PL, o que regista a evolução mais favorável em 2006, tendo visto as suas exportações crescerem 27,34 por cento face ao ano anterior. Segue-se de Porto de Mós (mais 7,2 por cento) e Pombal (1,67 por cento). Com uma performance negativa estiveram os concelhos da Batalha e Marinha Grande, ao registarem perdas de 13,36 e 0,52 por cento, respectivamente.

Leiria representava, no final de 2006, 42,45% das exportações do Pinhal Litoral, tendo sido o único concelho que viu subir o seu peso nas exportações do PL (+5,82 por cento). A Marinha Grande, por outro lado, foi a que mais peso perdeu nas exportações totais do PL: 3,59 por cento para os 34,32 por cento.

No concelho da Batalha, as exportações de Pedra, Cerâmica e Vidro e Máquinas e Aparelhos representam mais de 80% do total, tendo registado uma quebra de 16 e 20 por cento, respectivamente, face a 2005. Pela positiva neste concelho destacam-se o Material de Transporte (+161 por cento) e o Plástico e Borracha (+104 por cento). Quanto a países de destino, França e Espanha absorvem mais de 50% das exportações, enquanto a Alemanha surge em terceiro lugar, embora registando uma quebra de 50 por cento face ao ano anterior. Nos países extra União Europeia, destacam-se os Estados Unidos (embora a perder 22% face ao ano anterior) e Arábia Saudita.

Espanha e França absorvem mais de metade das exportações do concelho de Leiria, registando ambos uma tendência crescente (24 e 29 por cento, respectivamente), embora a maior subida pertença à Alemanha (131 por cento), que surge no terceiro lugar do ranking. Leiria exporta, em proporções idênticas, Plástico e Borracha, Máquinas e Aparelhos e Moldes, Pedra Cerâmica e Vidro, destacando-se a subida de 61 por cento registada na secção de Plásticos e Borracha. Em alta estiveram ainda as secções de calçado (27 por cento) e produtos de origem vegetal (36 por cento).

As Máquinas, Aparelhos e Moldes representam, como não podia deixar de ser, 50 por cento das exportações da Marinha Grande, embora a recuar 5 por cento face ao ano anterior. Segue-se o Plástico, com cerca de 20 por cento, mais 7 por cento face a 2005. Quanto a países de destino, Espanha, Alemanha e França repartem entre si o mercado, seguindo-se os Estados Unidos, que registam uma subida de 36 por cento relativamente a 2005.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.