Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Autoeuropa obrigada a ficar em Portugal até 2014

O Governo português ofereceu à Autoeuropa, em 1991, 89,1 milhões de contos em contrapartidas financeiras, 8,34 milhões de contos em isenções fiscais e 32,56 milhões de contos em formação profissional. Em troca foi inserida no contrato uma cláusula de salvaguarda que prevê a obrigatoriedade da manutenção da fábrica de Palmela até 2014, revela a edição de hoje do Diário Económico.

António Neto da Silva, o homem que negociou no início da década de 90, a vinda deste projecto de investimento que é responsável por 10% das exportações nacionais, conta, em entrevista ao Diário Económico, que a empresa alemã de início resistiu, mas acabou por aceitar a inclusão desta condição. “Normalmente, estas empresas cumprem com o que se comprometem”, frisa.

Após 2014, Neto da Silva considera que a empresa tem condições para se manter no país, “se Portugal der condições à fábrica para continuar cá”. Mas isso, sublinha, não significa dar-lhe mais incentivos financeiros.

Táxis com motores híbridos ficam isentos de imposto

Os táxis com motores híbridos, movidos a biocombustível e combustível normal, vão passar a estar isentos do Imposto sobre Veículos, de acordo com as novas regras da reforma automóvel, que entrarão em vigor a 1 de Julho de 2007, adianta a Lusa.

Na apresentação das principais alterações da reforma automóvel hoje promovida pelo Ministério das Finanças, o director-geral da Direcção-Geral das Alfândegas e Impostos Especiais sobre o Consumo, Luís Laço, disse que está prevista essa isenção para os táxis do novo ISV, enquanto os particulares que comprarem ligeiros de passageiros a GPL ou gás natural ou ligeiros de passageiros híbridos vão ter uma redução de 40% no mesmo imposto.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.