Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Leiria tem 1,51% das lojas em regime de franchising

Rui Marques

Leiria ocupa o 15º lugar, numa lista de 20 concelhos, no que respeita à localização de lojas em regime de franchising, segundo dados do Instituto de Informação em Franchising (IIF). O instituto – responsável pela Expofransing, certame que começa hoje na FIL e se prolonga até ao próximo dia 14 – elegeu 2006 como o ano da internacionalização das marcas portuguesas.

Leiria concentra 1,51% das lojas em regime de franchising do país, posicionando-se em 15º lugar, numa lista de 20 concelhos, segundo números do censo regional do IIF, referentes ao primeiro semestre de 2005. O primeiro lugar pertence a Lisboa, onde se encontram 12,86% do total de unidades, seguida do Porto com 3,72%.

O comércio é actividade de 54,2% das lojas estabelecidas em Leiria, seguindo-se os serviços com 41,3% e a restauração, com apenas, 4,6% das lojas.

Por sub-sector, Saúde Beleza e Estética representam 12,9% do total de unidades de franchising em Leiria, seguindo-se a mediação imobiliária e o mobiliário e decoração, ambos com 10,6%. O pronto-a-vestir infantil representa 9,4% do total, enquanto o de homem/mulher pesa 8,2%. Os acessórios de moda concentram 7,1% das lojas e a distribuição alimentar 4,7%.

2006: ano da internacionalização das marcas portuguesas

O ano de 2006 afigura-se «estratégico para a aposta na internacionalização das marcas portuguesas» e consolidação do crescimento das redes além-fronteiras, revela Eduardo Miranda, director-geral do IIF.

«Neste momento, 24% das marcas portuguesas já estão a operar fora de Portugal e 43% pretendem fazê-lo em breve com missões de internacionalização que apontam o Brasil, Espanha e México como mercados estratégicos, tornando a marca Portugal mais respeitada numa área associada a transferência de know-how, empreendedorismo e imagem moderna», explica.

Volume de negócios cresce 11,7% em 2005

Em 2005, atingiram-se 9.830 unidades/lojas em funcionamento em regime de franchising, o que se traduz num volume de negócios superior a 3,3 mil milhões de euros, um crescimento de 11.7% face a 2004, «o que proporciona um ambiente de optimismo e um crescimento surpreendente de marcas», revela Eduardo Miranda, director geral IIF, referindo-se aos resultados do 11.º censo – O franchising em Portugal, da responsabilidade daquele instituto.

Este estudo quantitativo, que foi baseado num universo de 429 redes a operar em regime de franchising, «permite-nos concluir que estamos perante um novo boom, uma tendência que se reflecte nas estatísticas, destaca ainda Eduardo Miranda.

«A entrada de 73 novas marcas (das quais 21 made in Portugal), 194 franchisings nacionais e o baixo número de marcas que cessaram a sua actividade (16), em 2005, é um excelente indicador do crescente potencial do franchising em Portugal», adianta.

Em termos sectoriais, os serviços continuam a ser o sector que mais tem contribuído para o crescimento do franchising, ao representar 46% das unidades/lojas contra 44% do comércio.

É ainda de referir que o Franchising ajudou a criar, em 2005, mais de 2.700 postos de trabalho efectivos, numa altura em que representa 2,2% do PIB nacional e é responsável por mais 58.849 postos de trabalho, o equivalente a mais de 1% do emprego em Portugal.

O franchising em Portugal em números

– 429 marcas em expansão em 2005 (das quais, 45% são de origem portuguesa, uma prova que o franchising made in Portugal é cada vez mais uma realidade);

– 9.830 unidades/lojas a operar em Portugal;

– 194 redes nacionais;

– 73 novas empresas;

– 2.700 novos postos de trabalho efectivos criados;

– 58.849 pessoas empregadas no mercado do Franchising;

– 3.3 mil milhões de euros e um crescimento de 11.7% constituem o volume global de facturação do mercado;

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.