Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

«Leiria é vencedora a nível de empreendorismo»

Rui Marques

Leiria é o único distrito do país, para além de Lisboa e Porto, em que a CGD disponibiliza Gabinetes de Apoio à Empresa, revelou Isabel Neto, directora central de marketing da Caixa Geral de Depósitos (CGD). «Leiria é, portanto, vencedora a nível de empreendorismo», adiantou.

Isabel Neto proferiu estas declarações perante uma plateia recheada de empresários do distrito, no encontro promovido pela TGA Consultores de Gestão, na passada sexta-feira, e que teve como tema «Gerir o Presente, Preparar o Futuro».

No mesmo evento, Helena Duarte, directora UDE IAPMEI, começou por explicar que a crise em que Portugal se encontra «não pode ser superada em um ou dois anos, pois é um processo moroso e agravado pelas fragilidades do País».

Segundo aquela responsável, Portugal é dos países da União Europeia (UE) com os empregados menos qualificados e com os mais baixos níveis de escolaridade. «Para melhorar a nossa situação económica, as empresas deveriam apostar em acções de formação. No entanto, os portugueses acham que não precisam de fazer formação ao longo da vida. A formação é essencial para o desenvolvimento das nossas empresas e do nosso país», adiantou.

Segundo Helena Duarte, para Portugal sair da crise é preciso formar e tornar as nossas Pequenas e Médias Empresas (PME) mais competitivas, acelerando a aquisição de jovens qualificados, estimulando programas de formação para empresas e para os seus funcionários. Um exemplo destes programas de formação é o programa GERIR, que começou em 2003 e desde aí não mais abandonou os 442 gestores de micro e pequenas empresas», salientou.

O grande objectivo deste programa foi o desenvolvimento das PME, «objectivo que foi atingido segundo 98% dos participantes, que avaliaram o projecto como muito bom. Nenhuma empresa avaliou negativamente o projecto», disse ainda Helena Duarte.

Um exemplo de sucesso

António Santos, gerente da Prosari, empresa de pré-fabricados de betão que participou no programa GERIR, começa por desabafar que «as coisas não estavam tão bem como pensávamos, o que nos fez levantar da cadeira e passar à acção. Deixámos de pensar que o problema era sectorial e não da nossa empresa».

Com o programa GERIR a empresa contratou um director comercial com formação superior, elaborou um catálogo e um site na internet, lançou novos produtos e ajustou-se às novas tecnologias. «Após esta mudança começámos a receber pessoas que vinham às nossas instalações, o que achámos muito estranho, pois nos dois anos anteriores ninguém nos tinha visitado. Eram, sem dúvida, os frutos do programa GERIR», explicou.

Novos projectos

Depois de discutidos os resultados do programa Gerir, foram apresentados, na segunda parte do encontro, mais dois temas: o Balance Score Card, por Gabriel Silva, da TGA, e Gestão de Incentivos Prime da SIME Internacional, por Benvinda Costa, do Núcleo de Leiria da IAPMEI.

O Balance ScoreCard foi apresentado por Gabriel Silva através de uma metáfora relacionada aos Descobrimentos: «nos Descobrimentos navegava-se à vista mas, com o desenvolvimento tecnológico e com inovação (bússola e astrolábio), descobrimos o Mundo. Assim surgiu o Balance Score Card, que é o desenvolvimento tecnológico e inovador que permitirá às empresas aumentar a produtividade, baixar os preços e aumentar a qualidade», explicou.

Por seu lado, Benvinda Costa apresentou a Gestão de Incentivos Prime da SIME Internacional como sendo um instrumento de apoio que intervém nas áreas da dinamização, inovação, financiamento, gestão de incentivos e revitalização e tem como destinatários micro, pequenas e médias empresas de sectores de actividade como a indústria, construção, comércio, turismo, serviços e transportes.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.