Portugal reduz previsão de crescimento para 2020 para 1,9%

Portugal deverá registar um crescimento económico de 1,9% no próximo ano, tal como acontece este ano, de acordo com o projecto de orçamento para 2020 apresentado terça-feira pelo ministro das Finanças, Mário Centeno, que reviu ligeiramente as previsões para baixo.

O Banco de Portugal, o mais cauteloso do governo, divulgou no mesmo dia a sua previsão de crescimento de 1,7%. Na conta de finanças enviada a Bruxelas em meados de outubro, o governo socialista previu que 2020 aumentaria o PIB em 2%. Depois de crescer 3,5% em 2017 e 2,4% em 2018, prevê-se que no próximo ano a economia portuguesa cresça mais rapidamente do que a média da zona euro pelo “quinto ano consecutivo”, o que representa uma “conquista sem precedentes” desde a criação do único moeda., o Sr. Centeno também argumentou. O projeto de orçamento para 2020, que será submetido à primeira votação no Parlamento em 10 de janeiro, prevê um superávit orçamentário de 0,2% do PIB, contra um déficit de 0,1% em 2019.

Se esse superávit for efetivamente realizado, será o primeiro desde o surgimento da democracia em 1974. A dívida pública, que era de 131,2% do PIB em 2015, deverá cair para 116,2% no final de 2020. A taxa de desemprego é projetado para 6,1% em 2020 de 6,4% este ano. Por seu lado, o Banco de Portugal reviu as suas previsões de crescimento para 2020 ligeiramente para cima na terça-feira e espera que o PIB aumente 1,7%, em linha com as previsões da Comissão Europeia. Em 2021 e 2022, o banco central espera um crescimento anual de 1,6%, evidenciando a situação externa “menos favorável” da economia portuguesa e das suas exportações. Em nota analítica publicada no dia anterior, o banco holandês ING observou que “se o crescimento econômico continuar a desacelerar em 2019, o país ainda apresenta uma das melhores ofertas da zona do euro”. Mas o analista Stephen Trippstein, especializado em Espanha e Portugal, espera apenas um aumento do PIB de 1,4%, por conta da desaceleração do consumo das famílias e do investimento.

READ  Home page direto do controle técnico obrigatório de motocicletas na França

Um ligeiro aumento nas pensões

O governo planeja um ligeiro aumento nos salários e pensões dos funcionários públicos, mas também um aumento em alguns impostos e espera que as receitas (+ 4,1%) aumentem mais do que as despesas (+ 3,3%). Os vencedores das eleições legislativas de 6 de outubro, os socialistas do primeiro-ministro Antônio Costa, ficaram com oito cadeiras na maioria absoluta. Para que o seu orçamento seja aprovado no Parlamento, eles devem, portanto, negociar o apoio, ou pelo menos a abstenção, de parte da oposição. Ao chegar ao poder em 2015 graças a uma aliança sem precedentes com os partidos de esquerda antiliberal, o Sr. Costa conseguiu restaurar o poder de compra das famílias, aproveitando a conjuntura favorável para continuar a repor as contas públicas do país, que teve que solicitar um resgate financeiro em 2011.

France Press Agency

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *