Coreia do Norte disparou ‘projétil não identificado’

Os militares sul-coreanos disseram na sexta-feira que a Coreia do Norte disparou um projétil não identificado no terceiro teste de Pyongyang em menos de 10 dias.

• Leia também: Washington diz que Pyongyang quer “chamar atenção” com seus mísseis

• Leia também: Estados Unidos querem novas sanções da ONU contra Coreia do Norte

• Leia também: Mísseis disparados até 1000 km

O Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul disse que o projétil foi disparado em direção ao leste da península coreana.

Pyongyang lançou dois mísseis, que a Coreia do Norte apresentou como hipersônicos, o primeiro em 5 de janeiro e o segundo em 11 de janeiro.

A Guarda Costeira do Japão disse ter detectado “o lançamento da Coreia do Norte às 14h55 do que parece ser um ou mais mísseis balísticos”.

Um porta-voz da guarda costeira disse à AFP que ainda estão analisando onde caiu e se foi um único objeto ou vários.

Apesar das sanções internacionais devido a programas de armas proibidos. Pyongyang já lançou dois mísseis, apresentados como hipersônicos, desde o início do ano. A primeira em 5 de janeiro e a segunda em 11 de janeiro.

O segundo teste, supervisionado pelo líder Kim Jong Un, resultou em sanções dos EUA contra cinco pessoas ligadas ao programa de mísseis da Coreia do Norte.

Em seguida, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Coreia do Norte acusou os Estados Unidos de “agravar deliberadamente” a situação.

“Se os Estados Unidos adotarem tal postura de confronto, a República Popular Democrática da Coreia (RPDC) terá que responder de maneira mais forte e enfática”, disse o porta-voz, citado pela agência de notícias oficial KCNA.

See also  The war in Ukraine | The Pentagon says Ukraine has received fighter jets and spare parts

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published.