Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Agroalimentar: agravamento fiscal ameaça 40.000 empregos

A Federação das Indústrias Portuguesas Agro-alimentares (FIPA) disse hoje prever que uma eventual subida do IVA no sector leve à destruição de cerca de 40 mil empregos, à redução significativa da produção nacional e à deslocalicação de empresas.

De acordo com um estudo elaborado pela FIPA e pela Deloitte, divulgado à imprensa, um eventual agravamento das taxas de IVA no sector agroalimentar levaria à perda de 8.000 postos de trabalho directos e outros 32.000 indiretos.

O estudo apontou ainda para “uma redução significativa do volume de produção nacional” e para a possibilidade de “um forte movimento de deslocalização de empresas”.

A FIPA manifestou, numa nota de imprensa, preocupação face às perspectivas para o sector afirmando que “está em causa o futuro de um dos mais importantes sectores nacionais, que representa 4,4 por cento do PIB nacional e que gera 16,8 por cento do emprego nacional”.

De acordo com o mesmo comunicado, a indústria agroalimentar tem um volume de negócios de 13.400 milhões de euros, o que representa 18 por cento da indústria transformadora, sendo o sendo de bens transacionáveis que mais contribui (2.900 milhões de euros) para o Valor Acrescentado Bruto nacional.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.