Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Distrito de Leiria tem duas novas empresas na rede PME Inovação da COTEC

O distrito de Leiria tem duas novas empresas na Rede PME Inovação da COTEC. Em causa estão a WeADD e a HRV, que se juntam à Rede que conta agora com 24 empresas do distrito de Leiria, num total de 250 a nível nacional.

A lista do grupo de empresas portuguesas que se distinguem pelo seu desempenho ao nível da inovação foi divulgada esta semana pela COTEC, e coloca o distrito de Leiria em quinto lugar em termos de presença na rede, superado apenas pelos distritos de Lisboa (55 empresas), Porto (52 empresas), Aveiro (35 empresas) e Braga (29 empresas).

De notar que no ano que em foi criada, em 2005, a Rede PME Inovação da COTEC contava apenas com uma empresa do distrito de Leiria – a Plasdan – entre as 24 que integravam a rede a nível nacional.


Carlos Cabeleira | Director de Projectos da COTEC

«Leiria regista uma evolução francamente positiva»


carlos-cabeleira_director-de-projecto-da-cotec

 

Em entrevista ao Leiria Económica, Carlos Cabeleira destaca a evolução da presença do distrito de Leiria na Rede e as vantagens de fazer parte da mesma. O processo de candidatura está sempre aberto.

Como vê a evolução da participação do distrito de Leiria na Rede PME Inovação da COTEC?

Assistimos a uma evolução francamente positiva. O distrito de Leiria é hoje o 5.º no ranking da distribuição geográfica da rede ao nível Nacional, com 24 PME inovadoras. São empresas de sectores diversos, desde o agro-alimentar às tecnologias de informação, passando naturalmente pela fileira de plásticos e moldes (46% do total), design, electrónica, equipamentos industriais, construção ou cosmética. A região de Leiria é marcada por um tecido empresarial com fortes tradições associativas (de que a CEFAMOL e a NERLEI são exemplo), e centros de conhecimento próximos das empresas (como o CENTIMFE e o IPL), o que cria um círculo virtuoso do qual emergem empresas inovadoras e com elevado desempenho económico-financeiro, como a Derovo (Pombal), ou Tekever (Óbidos), distinguidas em 2011 e 2015, respectivamente, com o Prémio PME Inovação COTEC-BPI.

Quais as principais vantagens, em termos práticos, de fazer parte da Rede PME Inovação COTEC? 

Destacaria, neste momento, o acesso a plataformas de trabalho conjunto, como uma rede digital de acesso reservado que aproxima e fomenta a colaboração entre as empresas do universo COTEC – Grandes Empresas Associadas e Empresas da Rede PME Inovação – e destas com os restantes actores do Sistema Nacional de Inovação, como a ANI, AICEP, FCT, IAPMEI, INPI e laboratórios associados. Destacaria ainda os Dias do Associado, uma iniciativa teve já diversas edições, com empresas como a Sonae, EDP, Bial, NOS, SECIL e REN. Nestes “open days para a inovação”, o anfitrião apresenta as tendências dominantes em cada uma das suas áreas (como a I&D, ou as Compras) sendo uma forma de colocar as PME em contacto com as grandes empresas. As PME da Rede têm ainda ao seu dispor diversas acções de business networking, troca de experiências e informação, com destaque para o Encontro Nacional de Inovação COTEC, ou as conferências que organizamos em parceria com os nossos associados. No âmbito da vigilância e colaboração tecnológica, propomo-nos acelerar a transição tecnológica das nossas empresas em cinco áreas prioritárias de acção: Economia Circular, Indústria 4.0, Fábrica do Futuro, Cibersegurança e Capacitação do Capital humano para a Inovação.

Em duas frases, o que diria às empresas do distrito de Leiria, no sentido de as incentivar a apresentar uma candidatura a esta Rede?

A candidatura à Rede coloca as empresas à prova, convidando a uma reflexão sobre as principais dimensões da gestão da inovação (condições, recursos, processos e resultados) e isso é, em si mesmo, uma vantagem. Pode ser a oportunidade para a mobilização em todas as áreas da empresa no sentido de considerar novas oportunidades de crescimento.

De que forma o podem fazer?

O processo de candidatura está sempre aberto e consiste na resposta ao inquérito presente na plataforma de Innovation Scoring (online em www.innovationscoring.pt). Estamos disponíveis para esclarecer quaisquer dúvidas e apoiar a realização desse exercício, por e-mail (carlos.cabeleira@cotec.pt) ou telefone (213183354).


Evolução do número de empresas do distrito de Leiria na Rede PME Inovação COTEC

2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016
1 2 2 5 6 8 11 13 18 20 22 24


Empresas do distrito de Leiria na Rede PME Inovação COTEC 2016

Ambisig – Ambiente e Sistemas de Informação Geográfica, SA

Carfi – Fábrica de Plásticos e Moldes, SA

Castelhano & Ferreira – Indústria de Tectos Falsos e Divisórias, SA

Derovo – Derivados de ovos, SA

Digidelta Software – Análise e Programação, Unipessoal, Lda.

DRT Rapid – Protótipos e Moldes, Lda.

Famolde – Fabricação e Comercialização de Moldes, SA

HRV – Equipamentos de Processo, SA

Ideal Molde – Indústria de Moldes e Plásticos, Lda.

inCentea – Tecnologia de Gestão, SA

Indice ICT & Management, Lda.

Intermolde – Moldes Vidreiros Internacionais, Lda.

MakeWise – Engenharia de Sistemas de Informação, Lda.

Moldegama – Moldes Técnicos, SA

Moldes RP – Indústria de Moldes SU, Lda.

Optilink, Lda.

Panicongelados – Massas Congeladas, SA

Plasdan, Automação e Sistemas, Lda.

Plásticos Futura, Lda.

Ribermold, Lda.

Sagilda – Sabões Garantia Industrial, Lda.

Tekever – Tecnologias da Informação, SA

Vipex – Comércio e Indústria de Plásticos, SA

WeADD, Lda.

Fonte: COTEC

REDACÇÃO | Célia Marques cmarques@leiriaeconomica.com

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.