Jordan Bardella acerta contas com Jerome Riviere, Michelle-Edouard Leclerc ainda defende seu bastão

A baguete de 29 centavos de Leclerc continua a fazer as pessoas falarem. Na manhã de sexta-feira, Michel-Edouard Leclerc esteve no RMC para responder às muitas críticas que lhe foram dadas. 18 milhões de franceses vêm fazer compras em Leclerc. Em geral, o seu rendimento médio ronda os 1.850 a 2.000 euros. (…) E aí também temos 8-9 milhões de franceses que os Secours descrevem como renda imprópria ou inadequada. Esses consumidores precisam de preços baixos, e estamos aqui para isso. Eu, essa é minha única preocupação (…) eu tomei um viés, é tendencioso para as pessoas que precisam comprar mais barato”, declarou.

Na Europa 1, o Secretário Nacional para a Ecologia da Europa – Les Virts Julien Bayot defendeu a legalização da cannabis, que faz parte das propostas do candidato Yannick Gadot. Segundo um membro do conselho regional de Ile-de-France, as autoridades públicas estão no caminho errado nesta questão. “É um fiasco completo: temos a política criminal mais repressiva da Europa e a taxa de dependência de menores está entre as mais altas (…) A legalização provou-se no Canadá e em Portugal”, disse.

Convidado da Radio Sud, o ex-primeiro-ministro Manuel Valls foi questionado sobre sua escolha para as eleições presidenciais. Quem apoiou Emmanuel Macron em vez de Benoit Hamon, em 2017, ele voltará a “rolar” a favor do presidente? Por enquanto, Manuel Valls evita cuidadosamente a pergunta. “Estou comprometido à minha maneira (…) contra Eric Zemmour, contra os extremistas e contra a extrema esquerda”, explica. O ex-candidato ao Eliseu também pediu uma “união sagrada e um acordo real para resolver um certo número de arquivos”, incluindo o arquivo de imigração. Tanto que, segundo ele, Valerie Pecresse e Emmanuel Macron devem “trabalhar juntos no longo prazo”.

See also  Elon Musk se tornará o primeiro trilionário da história?

Em LCI, o presidente do RN, Jordan Bardella, comentou sobre a deserção do deputado Jerome Riviere, que anunciou sua manifestação por Eric Zemmour. “Jerome Riviere queria responsabilidades que não existiam dentro RN (…) é um bom caminho para ele (…) mas a menor correção que ele deve aos meus eleitores é a sua reautorização.” Ele foi eleito membro do Parlamento Europeu em 2019, e Jerome Rivier foi chefiado por um membro do escritório nacional do RN sua delegação do partido em Estrasburgo, e uma vez anunciando seu comício diante de Eric Zemmour, que o bombardeou como vice-presidente da Reconquista, Marine Le Pen confiou a Helen Laporte a tarefa de substituir Jerome Riviere no leme dos deputados do RN.