Inter de Milão está fraco, Juventus na final

Copa da Itália: Inter de Milão é fraco, Juventus na final

Na terça-feira, a Juventus se classificou para a final da Coppa Itália pela sétima vez em dez anos depois de defender na terça-feira contra o Inter de Milão (0-0) escolha feita na partida de ida, no San Siro (2-1).

Portanto, Antonio Conte terá que esperar um pouco para ganhar a Copa Itália como treinador. Seu time da Inter de Milão, já eliminado das competições europeias, agora só tem o campeonato na esperança de evitar mais um ano vazio.

O homólogo do Torino, Andrea Pirlo, segue na corrida em todas as frentes para a estreia no banco, tendo já conquistado o seu primeiro título em Janeiro, a Supertaça Italiana.

“Estava nos planos de um iniciante”, sorriu o ex-craque, garantindo que seu time “não tinha feito nada” até então.

Após alguns meses de tentativas e erros, a sua equipa da Juventus voltou a ser uma massa sólida, mantendo as tradições defensivas de uma casa que não foi a equipa que prometia. Desde a derrota para o Inter (0-2), no dia 17 de janeiro, pelo campeonato, os “bianconeri” marcaram apenas um gol em sete partidas (seis vitórias e um empate).

O Inter de Milão, forçado a marcar após derrota em casa, mas tentou romper o cofre. Desta vez, a força de Romelu Lukaku e as pernas de Achraf Hakimi ficam à direita, duas peças centrais penduradas em movimento.

– Contra Napoli ou Atalanta –

O internacional marroquino, muito próximo de Niccol ب Barrilla, executou Alex Sandro e Federico Bernardeschi por irregularidades. Mas nem Lotaro Martinez, que foi impedido por um ligeiro contacto com Torini (10º), Lukaku (26), nem Christian Eriksen (28) conseguiram alarmar Gianluigi Buffon (1.101 jogos profissionais).

A Juventus, que era fraca para o gosto de Andrea Pirlo, voltou com o imperial Merre Demiral, sob um olhar algo tranquilizador nas bancadas dos suplentes Giorgio Chiellini e Leonardo Bonucci.

No final, o Inter tentou, mas a Juventus não quebrou. O Al-Hakimi não fez o gol (52) e muitos passes no final da partida não encontraram ninguém.

“Até o final, tentamos, com muita determinação, reverter o resultado. Sabíamos que um gol poderia colocá-los em apuros”, disse Antonio Conte, que pagou ao Inter de Milão pelos “poucos presentes dados na saída”.

Cristiano Ronaldo, o goleador em San Siro, não teve o sucesso de sempre em penalizar o Inter.

Os portugueses, após várias contra-tentativas antes do intervalo, rebatiam (59). Já Samir Handanovic, com dois figurões (64 e 70), foi privado de marcar o 24º gol nesta temporada.

Na final, a Juventus (a mais bem-sucedida com 13 vitórias) encontrará o Napoli para vingar a final de 2020 vencida por Gennaro Gattuso ou a Atalanta (retorno às semifinais na quarta-feira, 0 a 0 no jogo de ida).

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published.