Afeganistão | Talibã pede suspensão de programas de TV com mulheres

(Cabul) O Ministério da Promoção da Virtude e Prevenção do Vício do Talibã pediu às estações de televisão afegãs que parem de transmitir uma série com mulheres como parte das novas “diretrizes religiosas” que foram transmitidas no domingo.


“As televisões devem evitar a exibição de novelas e novelas em que mulheres tocam água de rosas”, disse um documento do ministério à mídia.

Também pede que garantam que as jornalistas usem o “lenço islâmico” na tela, sem especificar que é uma simples cobertura para a cabeça, geralmente usada na televisão afegã ou mais.

“Estas não são regras, mas diretrizes religiosas”, disse o porta-voz do ministério, Hakim Mohajer, à AFP.

As televisões afegãs também são incentivadas a evitar programas “contra os valores islâmicos e afegãos”, bem como programas que insultam a religião ou “mostram o Profeta e seus companheiros”.

Esta é a primeira vez que este ministério tenta regulamentar a televisão afegã desde que o Taleban assumiu o poder em meados de agosto.

Durante o seu primeiro reinado, de 1996 a 2001, o Ministério para a Promoção da Virtude e Prevenção do Vício, responsável por zelar pelo respeito diário dos “valores islâmicos” da população, estava apreensivo quanto às suas origens e aos castigos que recebeu – ele estava treinando.

O Talibã proibiu a televisão, filmes e todas as formas de entretenimento consideradas imorais.

Pessoas que foram flagradas assistindo à televisão e tiveram seus aparelhos destruídos, e na posse de um aparelho de vídeo, foram punidas com açoites públicos. Por um tempo, foi possível ver televisores pendurados em postes de luz.

O Taleban foi derrubado em 2001 e voltou ao poder em agosto passado em um país cujo panorama da mídia mudou após 20 anos de governo apoiado pelo Ocidente. Durante essas duas décadas, o setor de mídia explodiu e surgiram dezenas de estações privadas de rádio e televisão.

See also  Terremoto no Haiti: 'A situação vai se deteriorar'

Eles ofereceram novas oportunidades para as mulheres, que não tinham permissão para trabalhar ou estudar sob o regime do Taleban na década de 1990. Hoje, apesar de uma face mais moderada, o Taleban ainda não permite que muitas mulheres retornem ao trabalho nos serviços públicos.

As aulas para meninas nas escolas de ensino fundamental e médio, bem como nas universidades públicas, ainda não foram abertas na maior parte do país. Em universidades particulares, o Talibã exigia que as alunas usassem lenço na cabeça.

Seus combatentes também espancavam jornalistas acusados ​​de cobrir manifestações de mulheres “sem licença”.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *