Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Finanças penhoram Estádio de Leiria por dívida de 4 milhões

A Direcção-geral dos Impostos penhorou o Estádio Municipal de Leiria, disse hoje à agência Lusa o presidente da Câmara, Raul Castro. Em causa está uma dívida que ronda os quatro milhões de euros relativa ao pagamento do imposto sucessório. Da dívida de quatro milhões de euros que as Finanças exigem liquidação, 600 mil respeitam a juros.

“A Lerisport [empresa municipal] foi notificada, fez-se uma reclamação graciosa que não foi atendida e avançámos agora para a impugnação judicial”, explicou o autarca.

É, por isso, sublinha, expectável que “as Finanças tenham realizado a penhora em função da dívida, enquanto decorre todo o processo”.

Raul Castro adiantou que esta situação não compromete a venda do estádio de Leiria, cuja hasta pública esteve agendada para 22 de Setembro, mas que foi adiada – para data ainda não conhecida – para cumprir “formalismos legais”.

A situação remonta a 2003, quando foi feita uma escritura de doação do direito de superfície dos terrenos onde está o estádio a favor da empresa municipal Leirisport. Em Fevereiro deste ano, o presidente da Câmara de Leiria explicou que “sendo gratuita [a doação], está sujeita a imposto sucessório”, mas que a situação poderia ter sido ultrapassada “com a venda simbólica por um euro”.

Outra alternativa seria o pedido de excepção ao Ministério das Finanças, dado que o estádio integrava um projecto nacional, o Campeonato Europeu de Futebol que se realizou em 2004.

A situação foi detectada em 2006 no decurso de uma inspecção tributária à empresa municipal Leirisport. Na sequência da inspecção, o fisco aplicou “algumas contra-ordenações”, tendo sido pagos em 2008 mais de 20 mil euros em coimas.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.