Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Franchise: Macau «ponto excelente» para entrar na China

Macau é um “ponto” de excelência para a entrada de produtos portugueses na China e uma “excelente montra” de Portugal na região, considerou hoje o cônsul de Portugal na Região Administrativa Especial chinesa.

“Macau é um ponto excelente para a entrada de tudo o que seja português na China. É um ponto onde, por dificuldades logísticas, dificilmente haverá grandes volumes de comércio, mas em contrapartida é uma excelente montra de Portugal para a China, pelo passado, mas também pelo presente e pelo que aqui podemos trazer”, disse Manuel Carvalho.

O cônsul português falava à margem da abertura da segunda exposição de franchise do território, onde estão presentes 12 empresas portuguesas, algumas das quais com representantes próprios.

“Uma feira de marcas portuguesas atuais é, neste contexto, um passo lógico”, acrescentou o representante diplomático de Portugal em Macau, ao salientar ver com “satisfação” o número de empresas portuguesas que se deslocaram ao certame.

“Espero que a partir de Macau, em Macau, ou à volta de Macau, consigam encontrar parceiros e isso é uma das formas de revitalizar a presença portuguesa aqui no século XXI”, concluiu Manuel Carvalho.

Para Miguel Crespo, delegado da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) no território, Macau é um espaço “mais limitado” no campo da venda de mercadorias do que nos serviços, razão pela qual é montra para Portugal e para os produtos portugueses.

“Se Macau é um ex-líbris do lazer, das compras, também pelas vantagens de não ter IVA, de não ter impostos à importação, é uma montra excelente para marcas portuguesas que aqui venham a constituir sede”, disse, ao destacar argumentos vários como a ligação cultural, a moldura jurídicas e até a “familiarização” local com as marcas portuguesas.

“Comece-se aqui e pode encontrar-se mais facilmente um parceiro local”, afirmou Miguel Crespo, ao recordar que a Vista Alegre está na China por força de um “master franchiser” de Macau.

Portugal participa até sábado na segunda Feira de Franchise de Macau com empresas que, segundo a AICEP, estão “interessadas” em encontrar “master franchisers” para a Ásia.

Quatro das empresas portuguesas – Parfois – acessórios de moda -, Starwash – limpeza automóvel -, Hakisushi e Ao Grama – restauração – estão diretamente representadas na feira.

A moda e o vestuário estão indiretamente representadas pela Quebramar, Peter Murray, Trottleman e Red Oak, a restauração e o ‘fast food’ com a Go Natural, os ginásios com a Vivafit e a porcelanas com a Spal
Portugal celebra em 2011 o seu ano na República Popular da China, um período em que vários setores portugueses querem aproveitar para se promover no gigante asiático, quer diretamente, quer através de parcerias em Macau e Hong Kong que promovam os produtos nacionais no continente chinês.

LE com Lusa

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.