Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Apresentada primeira fase do estudo de impacto do TGV na região de Leiria

A Rede Ferroviária de Alta Velocidade (RAVE), o Instituto Politécnico de Leiria e a NERLEI, com o apoio da Deloitte, promoveram, no dia 22 de Março, uma sessão de apresentação dos resultados da primeira fase do estudo sobre a «Influência da Rede Ferroviária de Alta Velocidade na Região de Leiria», bem como o arranque dos trabalhos da segunda fase do mesmo.

Após análise detalhada de benchmark em Espanha e França, em cidades com características comparáveis a Leiria, o estudo identifica os potenciais benefícios e riscos da chegada da alta velocidade, permitindo que as empresas e o tecido empresarial da região «se preparem para maximizar as oportunidades criadas pela nova infra-estrutura».

Nesta análise de benchmark o estudo conclui que a Alta Velocidade «influenciou positivamente as cidades e regiões servidas», ao contribuir para a redução dos custos de transporte, aumento da produtividade, valorização do sector terciário (predominante) e secundário especializado. Segundo a análise, o TGV contribuiu também para a captação de investimento e população.

TGV potencia oportunidades de desenvolvimento da região

A análise permitiu ainda identificar alguns factores essenciais para potenciar as oportunidades criadas para o desenvolvimento das regiões servidas pelo TGV, nomeadamente, a acessibilidade e intermodalidade da estação; a expansão e diversificação de infra-estruturas e serviços; a adequação da oferta da Alta Velocidade às necessidades e a mobilização dos agentes e empresários locais.

«Da análise efectuada nesta primeira fase, conclui-se que a implementação da Alta Velocidade nestas cidades foi um facilitador do desenvolvimento regional, sendo que o grau de preparação e mobilização dos agentes e empresários foi determinante para potenciar os efeitos da chegada da Alta Velocidade», conclui.

A estação de Leiria, a localizar na Barosa, enquadra-se no eixo de Lisboa/Porto, que entrará em serviço em 2017, representando um investimento de 4500 milhões de euros. A estação da Barosa permitirá ligar Leiria a Lisboa em 30 minutos, ao Porto em 45 minutos e a Madrid em quatro horas. O eixo de Lisboa/Porto, segundo o estudo, apresenta uma «elevada rentabilidade económica e contribuirá decisivamente para o aumento de competitividade» do Eixo Atlântico Lisboa/Corunha.

O projecto de Alta Velocidade encontra-se «consolidado», sendo o seu modelo de desenvolvimento considerado «uma referência internacional», contando com o apoio de fundos comunitários em mais de 1.500 milhões de euros.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.