Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

Espanhóis lançam primeiro netbook livre, solar e biodegradável

Uma dupla de espanhóis apresentou o iUnika Gyy, o primeiro computador de software livre, alimentado a energia solar e totalmente biodegradável. O computador é feito na China, com baixos custos de produção, e o software desenvolvido em Madrid, revela o Ciência Hoje.

À venda em Junho, em 15 mil pontos em todo mundo, o notebook vai custar 130 euros.

O iUnika Gyy tem um ecrã de oito polegadas com uma resolução de 800×480, pesa 700 gramas, processador Ingenic de arquitectura Mips de 400MHz, 128 MB de memória RAM, extensível a 512 MB, um disco duro de 1 GB, que pode ir até aos 64GB com cartão SD, tem três portas USB, conectividade ADSL, Wi-Fi, CDMA e GPRS, 10/100 LAN Ethernet, tem o Linux como sistema operativo e está disponível em 12 idiomas.

LE com Ciência Hoje

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.