Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Empresas

Quinta da Portela envolve investimento de 20 milhões de euros

André Guerra

O projecto de loteamento da Quinta da Portela – aprovado a semana passada pela autarquia, depois de um processo que se arrastou durante seis anos – envolve um investimento de 20 milhões de euros. Em causa está a construção de 86 fracções de habitação e 26 fracções de escritórios, duas praças e um parque de estacionamento com capacidade para 252 lugares. A construção ficará a cargo da Gilmat. O proprietário está receptivo a propostas para a Villa Portela, a propriedade adjacente.

O espaço não passa despercebido aos leirienses. A Quinta da Portela fica localizada por trás da mancha verde e do edifício antigo que integram a Villa Portela (em frente à Câmara Municipal de Leiria) que, embora do mesmo proprietário, não faz parte do projecto agora aprovado.

O loteamento Quinta da Portela – da autoria do arquitecto José Manuel Charters Monteiro – envolve uma área total de 16.574 metros quadrados e irá ligar a Avenida Marquês de Pombal e o centro histórico. As 86 fracções de habitação distribuem-se por 17.985 metros quadrados, as 26 fracções destinadas a serviços por 2.681 metros quadrados, enquanto aos 252 lugares de estacionamento estão reservados 10.627 metros quadrados.

O loteamento prevê a criação de duas grandes praças na sua periferia, onde desembocarão as ruas Sá de Miranda, João XXI, Dr. Henriques Antunes Vereda e Dr. João Soares. Na praça maior, «a CML ira, naturalmente, concessionar um parque de estacionamento de 200 lugares em dois pisos», explicou ao Leiria Económica, Ricarco Charters d’Azevedo, filho mais velho do proprietário.

A urbanização envolve o alargamento da Rua Machado dos Santos e facilitará a construção do túnel de desnivelamento do cruzamento para aí previsto, para o qual foram cedidos mil metros quadrados na zona verde da Villa Portela.

Não existe ainda data definida para o início das obras, nem para a sua conclusão, uma vez que «não se controla o tempo que levam os procedimentos administrativos», adiantou aquele responsável.

Proprietário receptivo a propostas para a Villa Portela

O proprietário da Villa Portela – Roberto Manuel Charters d’Azevedo, hoje com 93 anos – está receptivo «a propostas para encontrar uma solução para a Villa Portela, mantendo a casa, cómodos, lago, jardins e mata», afirmou ainda Ricardo Charters d’Azevedo.

A solução para aquela propriedade, que abrange 22.394 metros quadrados, poderia passar pela «criação de um “private banking” por um dos bancos com negócios em Leiria», onde «serviços bancários de excelência poderiam ser oferecidos e, simultaneamente, dispor de salas para conferências, reuniões empresariais e exposições temporárias», adiantou.

Ricardo Charters d’Azevedo recorda que foi proposto à autarquia, em 2002, um hotel para aquela a área, uma «oportunidade económica» que «desapareceu com os atrasos na resposta da CML», explica, justificando que «hoje a taxa de ocupação dos hotéis no distrito ronda os 30%».

Até ser encontrado um parceiro, a Vila Portela continuará a ser a residência, em Leiria, do seu proprietário e família.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.