Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

O que é português é bom?

Vale a pena comprar o que é feito em Portugal? Cinco gestores de topo explicam à INVEST porque é que, depois de já terem provas dadas no mercado internacional “vestem a camisola” pelo projecto “Compro o que é nosso”. A ideia, defendem, é provar que o “made in Portugal” é bom, inovador e competitivo, para que o mercado interno também se renda ao produto nacional. E mostram como é que cada uma das suas empresas vai ganhar dinheiro com isso e o que é que todos nós temos a ganhar.

A edição de Abril da Revista INVEST vai ainda revelar os principais nichos de mercado para o sector farmacêutico e conta em primeira mão a história do empresário Leiriense que quintuplicou os resultados da sua empresa com a aposta em resina que vem da China. Uma prova que é possível dar uma terceira vida a um negócio com mais de três décadas.

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.