Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Actualidade

AEP reclama por por mais apoios públicos para as regiões Norte e Centro

A Associação Empresarial de Portugal (AEP) reclama por mais apoios públicos para as regiões Norte e Centro e para as empresas de capitais portugueses. «É muito bom o investimento estrangeiro, mas custa-me ver os empresários estrangeiros serem tratados com um carinho diferente em relação à forma como são tratados os empresários portugueses», queixou-se Couto dos Santos, vice-presidente da AEP, segundo revela a edição de hoje do Jornal de Negócios.

«Espero que o Governo, no próximo Quadro Comunitário de Apoio, tenha uma atitude perante as empresas portuguesas que seja semelhante àquela que tem com as empresas estrangeiras. É que às vezes penso que, para obterem apoios, mais valia que os empresários portugueses tivessem nome estrangeiro, porque assim seriam tratados de maneira diferente», considerou o mesmo responsável, que falava, ao princípio da tarde, nas instalações da AEP na Exponor, em Matosinhos, no âmbito da assinatura de um protocolo de cooperação com a Associação Portuguesa dos Industriais de Mobiliário e Afins (APIMA).

«O empresário português é um herói, porque consegue competir no mercado global»

Segundo Couto dos Santos, «o empresário português é um herói, porque consegue competir no mercado global com as empresas europeias sem que tenha o ambiente empresarial de um empresário inglês ou alemão».

Para este dirigente associativo, e ainda segundo o Jornal de Negócios, «os tempos são de unidade», pelo que «é entre as associações empresariais que tem que ser encontrado o caminho para vencermos as dificuldades sem pedirmos nada a ninguém», apelando «à união do movimento associativo em torno de um objectivo comum: desenvolver as regiões Norte e Centro».

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros.