Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário habilitar o JavaScript.Aqui estão as instruções de como habilitar o JavaScript no seu navegador.

Formação & Ensino

Politécnico de Leiria mostra no Reino Unido como inovar na economia azul

O projecto europeu liderado pelo Politécnico de Leiria foi seleccionado pela Comissão Europeia para representar o mecanismo Blue Labs – Innovative solutions for maritime challenges no Dia Marítimo Europeu, numa sessão sobre Crescimento Azul, que decorreu dias 18 e 19 de Maio, em Poole, no Reino Unido. Marco Lemos, investigador e coordenador do MARE-IPLeiria – Marine and Environmental Sciences Centre, esteve presente na sessão com o projecto AMALIA – Algae-to-MArket Lab IdeAs, que pretende transformar as algas invasoras, uma actual ameaça dos oceanos, numa oportunidade.

Além do AMALIA, em representação os projectos Blue Labs da Comissão Europeia, na sessão que assinalou o Dia Marítimo Europeu estiveram ainda em destaque um projecto Blue Careers e um Blue Technology. O objectivo da sessão organizada pela Comissão Europeia foi demonstrar como ideias originais podem estimular a inovação na economia azul, ultrapassando as limitações apontadas em 2014 pela Comissão, no documento “Innovation in the Blue Economy”, por se focarem em três áreas chave: competências, criatividade e tecnologia.

Marco Lemos explica que «o projecto AMALIA destaca o modo como se pode transformar as ameaças das algas invasoras em novas oportunidades de negócio, em estímulo para a economia e emprego, num ecossistema de partilha entre instituições de investigação, empresas e sociedade, onde o envolvimento de estudantes num regime de “aprendizagem com base em prática” promove competências nestes futuros profissionais, aproximando-os das empresas e de uma economia marítima com base no conhecimento».

O AMALIA, coordenado pelo MARE-IPLeiria, unidade de I&D do Politécnico de Leiria, e que envolve instituições de Portugal, Espanha, Áustria e Holanda, pretende valorizar as algas invasoras do noroeste da Península Ibérica, uma actual ameaça dos oceanos, em oportunidades. Produtos alimentares inovadores, rações com potencial para estimular o sistema imunitário de peixes e camarões em aquacultura, extractos para a indústria cosmética e novos medicamentos (com acção antitumoral, por exemplo), são alguns exemplos de produtos a desenvolver com recurso a estas algas. AMALIA é um dos quatro projectos financiados pela Comissão Europeia no âmbito do mecanismo Blue Labs.

Fonte: IPL

As mais lidas

Secil inaugura unidade de produção de microalgas em Pataias

A Secil inaugurou hoje, na sua fábrica em Pataias, Alcobaça, uma unidade de produção de microalgas. O projecto envolve a captação e utilização do CO2 ali gerado, por microalgas, que são depois canalizadas para os mercados que as aproveitam como ingrediente sustentável, natural e rico em compostos bioquímicos, nomeadamente para os da alimentação humana e animal. O investimento é de 15 milhões de euros.

Câmara vende Topo Norte do Estádio por 1,3 milhões para instalação das Finanças

O Município de Leiria aprovou esta terça-feira uma proposta de alienação da Torre Nascente do Topo Norte do Estádio Dr. Municipal Magalhães Pessoa, com uma área de construção de 4.500 metros quadrados, destinada a instalações para albergar e juntar num único local os Serviços de Finanças locais e distritais de Leiria. O valor da alienação do prédio é fixado em  1.339.503 euros. 

Exportações de moldes atingem novo recorde em 2016

Em 2016, as exportações da indústria portuguesa de moldes ascenderam a 626 milhões de euros, o que representa o quinto recorde consecutivo e a primeira vez que ultrapassam a barreira dos 600 milhões de euros. Aquele valor representa um acréscimo de 92% face a 2010.