Yelin teme que ajudar os países mais pobres possa beneficiar os credores chineses

A secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, expressou preocupação na quinta-feira que os credores chineses possam se beneficiar da ajuda financeira internacional aos países pobres.

• Leia também: Imposto mínimo global e meio ambiente na lista do G7 Finances Londres

“Ficaríamos muito preocupados em ver os recursos fornecidos a esses países sendo usados ​​para pagar dívidas à China, o que é inconsistente com a intenção dos programas”, disse ela durante uma audiência perante um comitê da Câmara.

O primeiro credor de países africanos

A China, em particular, é o primeiro credor dos países africanos, cujas dívidas explodiram desde a pandemia. A moratória deu um pouco de ar aos países mais endividados, e o próximo passo será dar baixa em parte da dívida.

O G-20 conseguiu persuadir a China e os credores privados a se envolverem em futuras renegociações de dívidas.

“Conversamos com a China sobre sua participação e eles prometeram participar como parceiros iguais nessas discussões sobre dívidas, observou o secretário do Tesouro, Joe Biden.

No entanto, ela lamentou: “Existem doadores na China que estão emprestando e não estiveram totalmente envolvidos nesses esforços.”

“Isso nos preocupa e falamos com os chineses sobre isso”, acrescentou ela, observando a necessidade de transparência, que é “uma forma importante de garantir que os fundos não sejam desviados”.

“Novas estradas da seda”

A China lançou a “Nova Rota da Seda” em 2013, que visa construir infraestrutura no exterior e aumentar sua influência lá.

Janet Yellen apelou ao Congresso dos EUA para liberar fundos para ajudar os países pobres nesta dívida.

As instituições financeiras internacionais “precisam de apoio adicional, principalmente porque os Estados Unidos nem sempre contribuíram para o pico das promessas”.

READ  Ameaças sexuais e comentários | Um porta-voz de Biden foi suspenso após conversa com o repórter

“Temos mais de US $ 2,7 bilhões em compromissos não cumpridos (…), e isso vai aumentar a menos que o Congresso destine fundos para cumprir nossos compromissos”, disse ela.

“A pandemia causou estragos nas finanças desses países e, se eles querem se reconstruir, muitos deles terão de melhorar sua situação diante de suas dívidas. Ela alegou que os Estados Unidos foram os primeiros a criá-los. programas ‘, mas agora temos que financiá-los. “

Por meio do G20, o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional (FMI) lançaram na primavera de 2020 a Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI) para dezenas de países de baixa renda, que expira no final do ano.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *