Você faz seus presentes no último minuto? A ciência tem uma explicação

Com a aproximação da véspera de Natal, muitos não terminaram suas compras de Natal. Apesar do contexto epidemiológico virando a vida cotidiana e a regulamentação de cabeça para baixo, a explicação está em outro lugar. Segundo os neurocientistas americanos, o principal motivo é, simplesmente, a procrastinação.

“Ainda não terminei o meu presente, a corrida será amanhã.” Como muitos consumidores, Alexis adiou a busca por presentes de Natal durante o Advento. No entanto, o jovem de 22 anos tem pensado na melhor forma de agradar aos seus entes queridos desde o final de novembro. “Todo ano é igual, ele se arrepende, eu penso nisso, penso nisso, mas não penso nisso.”

Este ano, não faltam desculpas para explicar tal atraso. Pandemia, medo de estar em uma loja lotada ou simplesmente falta de tempo para concluir uma tarefa. mas de acordo com Descubra a mídia científicaExiste outra explicação mais surpreendente para a ciência.

Dar um presente a alguém, principalmente a um ente querido, é correr o risco de “cair” e, assim, frustrar esse ente querido. “A ansiedade pode causar nervosismo porque o cérebro libera uma substância química chamada norepinefrina. Um cérebro ansioso também reduz os níveis de serotonina, que regula a ansiedade e a felicidade”, explica o psiquiatra Sam Zand ao American Journal.

Uma forma de resistir ao espírito natalino

A preocupação com a decepção fará com que o consumidor adie o momento crucial da compra do presente tanto quanto possível. A procrastinação permite que o cérebro libere dopamina, o hormônio da felicidade. A perspectiva de passar horas na frente do computador procurando os presentes perfeitos ou passeando por um shopping não libera dopamina preciosa. Diante dessa possibilidade, o cérebro escolherá a primeira opção, o adiamento.

See also  Nenhuma enfermeira noturna em CHSLDs: Ministro Dubey promete 'monitoramento próximo' | Tópico da área | notícias | a conversa

A magia do Natal também será incluída. Com anúncios, comédias românticas e canções de Natal, essa festa de fim de ano deve ser o momento familiar perfeito. Entre os retardatários, haverá “uma forma de resistência inconsciente, uma forma de dizer não gosto desta festa”, explica o psicanalista Saverio Tomasella. Nas colunas do Paris Match.

Precisa de ideias de atividades? Assine nosso boletim de fim de semana!

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *