Tudo que você quer saber

Em 1º de janeiro, a França não se tornará presidente da Europa, mas será sua força motriz. À frente da Presidência do Conselho da UE, ela poderá influenciar a elaboração da legislação europeia.

Os fogos de artifício serão lançados e a França assumirá as rédeas do Conselho da União Europeia por 6 meses. O dia 1 de janeiro de 2022 marcará o início de uma nova era para este órgão do Triângulo Institucional Europeu, instalado na avenida La Louie, 175, em Bruxelas, enquanto na terça-feira, 8 de dezembro, Emmanuel Macron apresentou as prioridades da presidência francesa do Conselho do União Europeia. União Europeia, comumente conhecida como PFUE. Mas que alavancas a França realmente terá para influenciar a legislação europeia? le Figaro Ele mora com o funcionário do Conselho da União Europeia, Pierre Saglier.

  • De que é composta a presidência do Conselho da União Europeia?

Depois de Portugal e da Eslovênia, é a vez da França. Cada estado membro da UE detém a presidência rotativa de Conselho da União Européia por um período de seis meses sob um pedido pré-estabelecido. Conhecido como Conselho dos Estados-Membros, é uma das três instituições que elaboram e adotam as leis europeias em conjunto com a Comissão Europeia e o Parlamento. Com a União Europeia composta por 27 Estados-Membros, seis meses é um período demasiado curto para apresentar as prioridades da presidência. “O período médio de negociação de um processo a nível europeu é de dois anos. Em seis meses, um arquivo raramente é iniciado e concluído por um único estadoO funcionário europeu Pierre Saglier confirma. É por isso que, desde a entrada em vigor do Tratado de Lisboa em 2007, cada Estado-Membro que preside o Conselho alinhou o seu programa com dois outros Estados que o estão a avançar ou a seguir neste exercício. Nesse sentido, o triunvirato presidencial estabelece metas de longo prazo, ou seja, 18 meses, para garantir a continuidade do programa legislativo.

  • Qual será o papel da França?
See also  OpenLux: Financiamento de Luxemburgo passou por um raio-X

A França não será o presidente da Europa, mas será o motor por 6 meses. Organizadora dos trabalhos do Gabinete, dará ímpeto aos dossiers que optou por colocar na ordem do dia. O controle da agenda é uma vantagem real para a França: “O país que decide o que será discutido e em que condições tem grande influência‘diz Pierre Saglier. No entanto, a presidência é garantidora da unidade desta instituição, e “O seu papel será, acima de tudo, encontrar compromissos entre os Estados-Membros, e não deve representar os seus interesses, mas sim o interesse geral europeu.‘, Oficial europeu Nuance.

Também agirá como representante dos Estados-Membros. “Assim que um texto jurídico é negociado com o Parlamento Europeu (que partilha o poder legislativo com o Conselho, nota do editor), a Presidência do Conselho da UE representa a posição dos 27 Estados-Membros e não a da França.‘”, Diz o funcionário europeu. conseguir aprovar os textos das leis propostas pela Comissão Europeia. ”A presidência francesa terá de ouvir, reunir e encontrar concessões entre situações por vezes muito hostis”, Continua Pierre Saglier, que não deixa de destacar que os Estados membros sempre manobraram a adoção de leis europeias desde então. “Nenhum projeto de lei entra em vigor a nível europeu sem a aprovação do Parlamento e do Conselho da União Europeia.”».

  • Qual será o papel dos ministros do governo francês?

O Conselho da União Europeia, também conhecido como Conselho de Ministros dos 27 países, reúne-se em 10 diferentes formações correspondentes a diferentes áreas de trabalho (administração pública, agricultura, transportes). Cada ministro do governo francês presidirá a formação do conselho em sua área de competência até junho de 2022. Assim, Clement Bonn presidirá o Conselho de Assuntos Gerais, que administra as principais questões institucionais do sindicato, enquanto Gerald Darmanin presidirá o Conselho de Ministros do Interior, e terão a pesada tarefa de obter consenso por parte dos Estados Os 27 membros em questões de imigração, por exemplo. Bruno Le Maire será o responsável por esta tarefa no Conselho de Economia e Finanças. A única exceção à regra é o Conselho dos Negócios Estrangeiros, que tem um presidente permanente nomeado pela Comissão Europeia e continuará a ser presidido pelo espanhol Josep Borrell durante este período.

See also  Allen v. Farrow é uma empresa de demolição cheia de mentiras
A França não presidirá ao Conselho da Europa, ao Conselho Europeu ou à União Europeia. Diagrama do Conselho da Europa

O Conselho da União Europeia é frequentemente confundido com duas outras instituições bem conhecidas a nível europeu: o Conselho Europeu e o Conselho da Europa. Em primeiro lugar, o Conselho Europeu que se reúne nos edifícios do Conselho da UE várias vezes por ano, mas mesmo assim é composto por 27 Chefes de Estado e de Governo da UE e é presidido pelo Presidente permanente Charles Michel. Em seguida, o Conselho da Europa, com sede em Estrasburgo, tem 47 Estados membros e não uma instituição da UE. Para tornar as ações da UE conhecidas pelos cidadãos franceses, quase 400 eventos planejados na França e nos 27 estados-membros marcarão esta presidência até que a Suécia tome posse no segundo semestre de 2022.

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *