“Temos que infligir dor” na Apple, Zuckerberg disse ao Facebook

Um novo relatório diz que Mark Zuckerberg disse aos funcionários do Facebook “temos que causar danos” na Apple em 2018.

Du Wall Street Journal:

O CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, reclama há anos que a Apple e seu presidente, Tim Cook, têm influência demais sobre as atividades do gigante da mídia social. Em 2018, sua raiva piorou.

O Facebook está envolvido em uma polêmica sobre suas práticas de coleta de dados. Cook se empilhou em uma entrevista nacional à TV, dizendo que sua empresa privada nunca teria se encontrado em tal engarrafamento. Zuckerberg respondeu dizendo que os comentários do Sr. Cook foram “muito parcos” e “completamente inconsistentes com a verdade”.

Em segredo, Zuckerberg era mais duro. “Temos que infligir dor”, disse ele à sua equipe, sobre o mau trato à empresa, segundo pessoas a par da bolsa.

O relatório tem como pano de fundo uma disputa pública entre a Apple e o Facebook sobre as recentes mudanças no iOS 14 e no rastreamento de usuários, um movimento que o Facebook diz que pode destruir seu negócio de publicidade. Como observa o relatório, a linha parece ter se arrastado por vários anos.

Em 2017, diz o relatório, Zuckerberg e Coca tiveram uma reunião cara a cara que “não correu bem”. Zuckerberg reclamou da demora na análise do aplicativo e considerou Cook “abrasivo”. O pontapé inicial veio em 2018, quando Cook fez comentários públicos sobre o fracasso da Cambridge Analytica em 2018:

No início de 2018, o Facebook revelou que Cambridge Analytica, a empresa que ajudou a campanha presidencial de Donald Trump, havia feito uso indevido de dados da plataforma de mídia social, ampliando preocupações de longa data sobre a vasta quantidade de informações que recebeu e coletou dos usuários.

Quando questionado sobre o MSNBC o que ele faria se fosse o CEO do Facebook, Cook respondeu: “Eu não estaria nessa posição.”

Funcionários atuais e ex-funcionários do Facebook disseram que os comentários de Cook deixaram muitos na empresa com a sensação de que a Apple os estava escolhendo injustamente, com executivos reclamando que Cook não diferenciava seus concorrentes de mídia social da mesma forma.

O relatório afirma que os advogados e funcionários de comunicações do Facebook “discutiram como levantar questões antitruste sobre a Apple por meio de grupos de lobby, agências reguladoras ou um processo antitruste”.

See also  Dia Mundial do Meio Ambiente: As mais belas fotos da Terra tiradas por Thomas Bisquet

Ofertas VPN: Licença vitalícia por $ 16 e planos mensais por $ 1 e mais

O Facebook argumenta que anúncios personalizados e privacidade do usuário podem coexistir, notando em um e-mail às empresas no início deste ano. O Facebook diz que não tem escolha a não ser exibir um novo prompt de ativação para notificar os usuários antes de concordar em ser rastreado em aplicativos e dispositivos com um número IDFA.

O relatório ecoa fortemente o relatório divulgado no início desta semana, alegando que as frustrações semelhantes da Epic Games com a Apple duraram quase três anos e que a empresa passou meses planejando o processo antitruste contra a empresa.

You May Also Like

About the Author: Octávio Florencio

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *