Reclamação contra o Walmart por descarte ilegal de resíduos perigosos

Uma queixa foi apresentada na segunda-feira na Califórnia contra a gigante da distribuição Walmart, acusando-a de ilegalmente e durante anos despejar milhões de resíduos perigosos, como baterias ou aerossóis.

• Leia também: Chega de sacolas plásticas no Walmart

• Leia também: Depois que ela foi atingida por um prego enferrujado, o Walmart deve pagar a ela $ 10 milhões

A ação foi movida em conjunto pelo procurador-geral da Califórnia, Rob Ponta, e seis promotores estaduais do condado, bem como pelo Departamento de Controle de Substâncias Tóxicas (DTSC) do estado.

O Walmart é acusado “nos últimos seis anos” de descartar “resíduos perigosos em aterros locais que não são equipados ou licenciados para receber esse tipo de resíduo”, segundo um comunicado conjunto.

Assim, baterias, aerossóis, pesticidas, produtos de limpeza tóxicos, lixo eletrônico e até resíduos de tinta foram despejados em centros locais de recebimento de resíduos, e não em centros de reciclagem capazes de tratar esses resíduos para evitar que poluam o meio ambiente.

As informações confidenciais dos clientes também acabaram nesses centros de reciclagem.

“As próprias auditorias do Walmart descobriram que a empresa estava despejando resíduos perigosos em aterros locais a uma taxa de mais de um milhão de peças por ano”, disse o procurador-geral Rob Ponta no comunicado.

“A partir daí, esses produtos podem vazar para a água potável do estado na forma de poluentes tóxicos ou para o ar na forma de gases perigosos”, disse ele.

A denúncia vem na esteira do primeiro processo, em 2010. O grupo havia concordado em pagar US $ 25 milhões depois que foi instalado para o descarte ilegal de resíduos perigosos.

“As inspeções que começaram em 2015 revelaram que o Walmart continuou a operar na Califórnia em violação das leis estaduais”, disse o comunicado.

See also  Novo ataque ao Capitólio | O debate sobre segurança foi relançado

O Walmart, por sua vez, garantiu o cumprimento da lei: “Já nos reunimos várias vezes com o Estado e, para evitar litígios, apresentamos nossos programas pioneiros de resíduos perigosos, mas eles entraram com essa reclamação injustificada.

“O estado exige um nível de conformidade no que diz respeito à destinação de resíduos (…) que vai além do que é exigido por lei. Temos a intenção de defender a empresa”, acrescentou.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *