Portugal: Adel Rami lágrimas de alegria depois de sair da Boavista

Provou que não tinha vindo a Portugal na pré-reforma. No final da temporada, foi nomeado capitão do Boavista e Adel Rami ajudou o FC Porto a garantir o seu lugar na primeira divisão portuguesa. Manutenção garantida graças ao sucesso na relva do Estádio Gilles Vicente na noite de quarta-feira (2-1), já que o defesa, campeão mundial de 2018 com os Blues, não conseguiu conter as lágrimas de alegria.

“Nunca vou andar sozinho. Obrigado, Boavista”, escreveu o ex-jogador do Lille e OM em sua conta no Instagram. “Tenho a sorte de já ter sido campeão do mundo e ter vencido a Liga Europeia (Nota do editor: pelo Sevilla em 2016). Não sou português nem Boavista, mas conhecia o clube e o coração dos adeptos, como explicou no comentários veiculados pelo jornal. Registro. Foi um ano difícil para mim, só fiquei um ano sem jogar e tive muitas lesões, mas o Luis Campos (Nota do editor: ex-Diretor Esportivo da Lusk, que é próximo do dono do clube, Gerrard Lopez) confiou em mim. “

Antes de ingressar na Boavista neste verão, Adel Rami ficou no final de uma aventura muito complicada com a OM, que rescindiu o seu contrato por falta grave, depois um período desastroso no Fenerbahçe onde jogou apenas uma partida e depois uma pequena pausa no início de 2020 no clube russo Sochi, que ele não usava Sua camisa nunca veio. Aos 34 anos optou por jogar este verão por duas temporadas no FC Porto II.

Passe razoavelmente bem-sucedido. O zagueiro jogou 22 partidas do campeonato, embora o final do ano de 2020 tenha sido interrompido por um defeito físico. “Consegui ajudar a equipa, mas o Boavista também me ajudou muito”, afirma o jogador. É bom ter contribuído para a manutenção.

READ  Por que a França deveria ter cuidado com os húngaros?

You May Also Like

About the Author: Lucinda Lima

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *