Pandemia: aumento de infecções

Depois de cair pela metade em um mês, a contaminação por Coronavírus começou a aumentar novamente no mundo na semana passada: Aqui estão os destaques da semana, retirados do banco de dados da Agence France-Presse.

Leia também: Direto | Os últimos desenvolvimentos no Coronavirus

Leia também: A epidemia está se recuperando devido à variante inglesa

Um indicador importante, entretanto, é que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infecções, e as comparações entre países devem ser feitas com cautela, já que as políticas de teste variam de país para país.

Com 384.200 lesões diárias registradas esta semana, o índice está começando a subir novamente (+ 6% em relação à semana anterior), interrompendo a queda registrada entre meados de janeiro e meados de fevereiro, de acordo com um relatório da AFP que parou na quinta-feira.

O índice caiu pela metade em um mês, de 743.000 novos casos diários (semana 5 a 11 de janeiro) para 362.000 (semana 12 a 18 de fevereiro). Desde o início da epidemia, o índice não teve um declínio tão acentuado e prolongado.

Apesar do aumento nesta semana, a nova poluição permanece em um nível semelhante ao de meados de outubro.

Esta semana, apenas a África viu uma desaceleração nas infecções (-14%). Todas as outras regiões experimentaram aceleração: + 10% na Europa, + 8% na Ásia e América Latina / Caribe, + 5% no Oriente Médio, + 1% nos EUA / Canadá.

Por sua vez, a Oceania viu sua contaminação mais que o triplo (+ 252%), mas o vírus está se espalhando muito pouco nesta área (47 casos por dia).

A Estônia é o país onde a epidemia mais se acelerou (+ 82%, 1.050 novos casos por dia), entre os países que registraram mais de 1.000 infecções diárias na semana passada. O estado ordenou o fechamento de todas as escolas (exceto para turmas para crianças menores), piscinas públicas e saunas em 19 de fevereiro, e exigiu que os estonianos trabalhassem em casa.

READ  Prisão de um líder americano dos neonazistas

Hungria (+ 69%, 2.900), Jordânia (+ 59%, 3.400), Sérvia (+ 59%, 3.000) e Equador (+ 48%, 1.600).

Pela terceira semana consecutiva, a queda mais forte durante a semana foi observada em Portugal (-38%, 1.300 novos casos por dia). No início do ano, Portugal manteve-se durante várias semanas como o país mais poluído do mundo em termos de população. A curva diminuiu acentuadamente durante quatro semanas, graças à contenção que entrou em vigor no dia 15 de janeiro.

Espanha (-27%, 8.400), África do Sul (-25%, 1.500), Israel (-22%, 3.800) e Japão (-22%, 1.200).

Os Estados Unidos ainda são o país com o maior número de novas infecções nesta semana, com 73.700 novos casos diários (+ 1%), à frente do Brasil (51.400, + 14%), França (21.500, + 16).%) E Itália ( 14.700), + 26%).

Como porcentagem da população, exceto para os pequenos países, a República Tcheca continua sendo o país com o maior número de casos nesta semana (700 por 100.000 habitantes), à frente de Montenegro (561) e Estônia (552).

Os Estados Unidos registraram o maior número de mortes na semana passada (2.156 mortes por dia em média), à frente do Brasil (1.149), México (798), Rússia (421) e Reino Unido (383).

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *