Javascript desactivado

Para completa funcionalidade deste site é necessário activar o JavaScript. Aqui estão as instruções de como activar o JavaScript no seu navegador.

Opinião

Vítor Ferreira

Vítor Ferreira

Diretor Executivo da D. Dinis Business School e Docente do IPLeiria

Branding Industrial

Durante muitos anos a construção de marcas industriais foi considerada uma preocupação secundária. Empresários e gestores viam a gestão de marca como uma tarefa de “vendedores de sabonetes”, que encetavam esforços para construir imagens na mente do consumidor final (“fácil de modelar”, diziam alguns empresários). Todavia, em conversas informais, inúmeras vezes ouvi empresários a louvar este ou aquele fabricante de máquinas de injeção, de CNC, de estações de trabalho, etc.  A verdade é que essas conversas, para além de terem uma sustentação em factos quantitativos (uma máquina pode de facto ter melhor rendimento) têm, contudo, um valor de marca associado (uma presunção sobre fiabilidade e desempenho que não tem de ser verdadeira, porque o próprio empresário não consegue comparar todos os fornecedores existentes no mundo, mas consegue reconhecer “aquele fabricante”).

Vítor Ferreira

Vítor Ferreira

Diretor Executivo da D. Dinis Business School e Docente do IPLeiria

Terra Queimada

Na passada madrugada do dia 17 de Outubro estive a “ver chover”. Durante uns bons dez minutos abri a janela e, com a mesma curiosidade e espanto que tinha há mais de 30 anos, fiquei parado a ouvir as gotas de água caírem, como que deslumbrado pelo cheiro acre da chuva tardia. Chover lava a alma, dizem. Neste caso a água lavou as cinzas, mas não as mágoas de um país para sempre por concluir.

Vítor Ferreira

Vítor Ferreira

Diretor Executivo da D. Dinis Business School e Docente do IPLeiria

A minha rua tem um semáforo

A “tragédia dos comuns” pode ser descrita como um problema económico em que cada indivíduo tenta obter o maior retorno possível de um determinado recurso (usualmente um recurso partilhado). À medida que a procura pelo recurso agrava a oferta, todos os indivíduos que consomem uma unidade adicional prejudicam diretamente os outros (eventualmente destruindo esse recurso). Geralmente este recurso é facilmente acessível a todos os indivíduos.

Tânia Santana

Tânia Santana

Jurista DECO Coimbra

Consumos com mais de seis meses? Não vou pagar…

São frequentes contactos de consumidores que nos reportam que são surpreendidos com a solicitação de pagamento de serviços públicos essenciais, referentes a consumos e faturas já com vários meses e até mesmo anos.

Melanie Magalhães

Melanie Magalhães

Gabinete de Projetos e Inovação | DECO Centro

É seguro comer uma bola de Berlim na Praia?

As bolas de Berlim, por vezes, são transportadas em caixas sem refrigeração. Com o calor que se sente na praia, será que estes produtos de pastelaria estão em bom estado para consumo?

Tânia Vieira

Tânia Vieira

Jurista DECO Coimbra

Crianças Seguras. Férias tranquilas

Com a chegada das férias, trocam-se as preocupações do dia-a-dia pelo merecido descanso. Contudo, para quem tem crianças de tenra idade, existem cuidados a ter para evitar acidentes.