O ponto final de Biden para a guerra paralela

O presidente Biden anunciou ontem que os militares dos EUA e da OTAN Ele deixará o Afeganistão em 11 de setembro, Para encerrar a guerra mais longa da história dos Estados Unidos.

Na esteira dos ataques terroristas que mataram quase 3.000 pessoas, os Estados Unidos declararam guerra ao regime do Taleban no Afeganistão, que abrigava a Al Qaeda e Osama bin Laden.

  • Ouça o colunista político internacional Loïc Tassé com Benoit Dutrizac no QUB:

Pela primeira vez, um membro da OTAN foi atacado diretamente, o que levou a OTAN à guerra. O Canadá esteve lá de 2002 a 2014. Essa guerra foi em vão? Depois que seu antecessor declarou uma retirada precipitada ao fechar um acordo fracassado com o Talibã, Biden poderia ter agido de outra forma?

Interferência justificável

Olhando para o passado, é muito fácil dizer que esta guerra nunca deveria ter sido travada. Os ataques de 11 de setembro provocaram uma resposta à Al Qaeda e ao regime que os protegia.

Além disso, criar uma ordem viável e modernizar uma das sociedades mais pobres do planeta eram objetivos nobres e alinhados aos interesses ocidentais.

Durante a primeira década do conflito, a Al-Qaeda foi fortemente enfraquecida e Osama bin Laden foi eliminado. Além disso, muitas reformas ocorreram na sociedade afegã, incluindo o aumento do acesso das meninas às escolas e o progresso real das mulheres.

Custos altos, resultados mistos

Esta guerra foi justificada e um progresso real foi feito, mas os custos eram proibitivos. Desde 2001, mais de 3.500 soldados aliados morreram, incluindo quase 2.500 americanos e 158 canadenses, sem mencionar dezenas de milhares de afegãos mortos e centenas de bilhões engolidos.

Apesar do progresso, o Taleban nunca foi neutralizado e a opinião pública ocidental rapidamente perdeu a paciência com essa intervenção aparentemente sem esperança.

READ  Indonesia earthquake kills dozens and injures hundreds

Historicamente, o Afeganistão sempre foi o “cemitério dos impérios”. Os britânicos a varreram sem sucesso no século XIX. Na década de 1980, a desastrosa ocupação soviética ajudou a precipitar a queda do regime. Foi a vez dos americanos quebrarem os dentes ali.

Retirada inevitável

Muitos especialistas e alguns políticos consideram essa retirada prematura, mas desde a saída de Bin Laden em 2011, tornou-se quase impossível justificar a continuidade das operações. O presidente Trump concordou e fez questão de selar um acordo de retirada com o Taleban antes de partir. Esse acordo tinha falhas, mas Joe Biden considerou uma ilusão de que esperaríamos mais.

O principal problema com a retirada rápida prometida por Trump foi a falta de um plano coordenado para a partida de 9.600 militares da OTAN. O prazo que se estende até 11 de setembro preenche essa lacuna.

Discutiremos por muito tempo as consequências estratégicas de abandonar uma guerra que ainda não acabamos. No entanto, está claro que esta decisão atrairá o público americano. Estava claro há muito tempo: esta guerra já durou tempo demais.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *