O nascimento de uma nova revista feminina, a indignação dos Repórteres Sem Fronteiras e um importante documentário histórico

Na primeira página, Informações sobre a mídia cultural: o nascimento de uma revista.

Você verá uma nova revista feminina chamada “Entre nous” à luz do dia. Será dirigido por Faustin Bollert, apresentador do programa “Starts Today” da France 2, e será o editor-chefe deste jornal, apresentado por seu proprietário, Reworld Media, como inspirador e positivo. Um jornal deve ter sua primeira edição em cerca de três semanas no início de junho. Faz parte de um movimento popular há alguns meses: lançar uma manchete de jornal com nome e rosto de animadores famosos. “Mission Patrimoine” com Stefan Berne, “S”, com Sophie Davant, “Dr. Jude” com Michelle Simis.

Repórteres Sem Fronteiras leva o assunto ao Tribunal Penal Internacional.

Repórteres Sem Fronteiras está protestando contra alguns dos ataques lançados pelo exército israelense na semana passada na Faixa de Gaza. Aqueles que destruíram os edifícios de 23 meios de comunicação locais e internacionais. Entre esses prédios está um prédio que abriga os escritórios do canal Al-Jazeera do Catar e da American Associated Press. (Ele também teria hospedado o escritório de inteligência do Hamas, de acordo com Israel.) Ele foi baleado no sábado, logo após sua evacuação. Esta destruição, e as outras, Christophe Delaware, Diretor-Geral da Repórteres Sem Fronteiras, as consideram sujeitas ao direito penal internacional. O primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu disse que o prédio destruído em Gaza era um alvo perfeitamente legítimo. Joe Biden, o presidente dos Estados Unidos, apenas lembrou aos israelenses que garantir a segurança dos jornalistas e da mídia independente é essencial.

Logo o nascimento de um novo gigante da mídia.

Isso é o que muitos jornais americanos pensam que sabem. Ontem eles anunciaram a próxima fusão entre dois gigantes: WarnerMedia (dona da CNN e HBO), por um lado, e por outro lado, o Grupo Discovery que é dono da Eurosport, entre outros. O anúncio pode ocorrer durante o dia.

See also  P 8: Ouvir a confirmação do fracasso de Cyril Hanouna é uma parada inevitável?

A Eurovisão vai cruzar o Oceano Atlântico.

O concurso de música será adaptado para os Estados Unidos no próximo ano. Será na primavera ou verão de 2022, na NBC. O concurso reunirá artistas representantes de todos os estados e territórios associados ao país. Foi o que o regulador da Eurovisão, a European Broadcasting Union, anunciou neste fim de semana.

O foco do programa de hoje: Um documentário transmitido hoje à noite na França 3.

France 3 Nouvelle-Aquitaine, concretamente, no âmbito de um programa denominado “O Legado de Aristide”, é o título deste documentário que analisa a forma como um diplomata português salvou muitos judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Philippe Martinetti, Diretor Adjunto da Rede Regional da França 3. “La France en really”, é o nome do fundo documental em que será publicado o filme “O Legado de Aristide”. Será na Nouvelle-Aquitaine, portanto, e apenas nesta região. Porque em cada um dos outros, ao mesmo tempo, haverá um documentário diferente. 13 regiões, 13 filmes para ficar o mais próximo possível dessas áreas. A cada ano, 250 documentários são exibidos em “La France en really”. Entre eles, esta noite, além de “O Legado de Aristide”, filme sobre caçadores de meteoros, será exibido em Auvergne – Ródano-Alpes. Outro na jornada desafiadora da reprodução medicamente assistida, PMA, está no Grand East. Tudo isso, então, está em “La France en really”. É todas as segundas-feiras, na segunda parte da noite, às 22h55, na França 3. Os filmes também podem ser vistos em france.tv.

You May Also Like

About the Author: Aldina Antunes

"Praticante de tv incurável. Estudioso da cultura pop. Pioneiro de viagens dedicado. Viciado em álcool. Jogador."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *