O Liverpool vence o Manchester United na Premier League e ainda acredita na Champions League

Jogo: 2-4

48 horas após a derrota do Manchester United para o Leicester (1-2), Ole Gunnar Solskjaer tomou a decisão de mudar todas as suas onze partidas iniciais devido a um choque contra o Liverpool. Portanto, foram os executivos normais que começaram o jogo, e os Red Devils logo ganharam a vantagem sobre o Liverpool. Mais justa e justa, abriu o placar de Bruno Fernandez, com um chute externo dirigido por Nathaniel Phillips (10).

Mas depois de meia hora de extrema intensidade, Mancon rachou fisicamente – era seu quarto jogo em sete dias – e eles não conseguiram impedir o retorno do Liverpool. Se o favorito de Sadio Mane, Diogo Jota, encontra Henderson depois de uma sequência de alta (33ª), o português traiu Dean Henderson com Majer na próxima curva (34). Os jogadores de Jürgen Klopp tiraram finalmente partido da sua superioridade física para uma contrapressão implacável, o que levou o Manchester United a repetir os seus erros de revanche. Firmino, que não marca desde 28 de janeiro, aproveitou para dar a vantagem ao seu time antes do final do primeiro tempo (45 + 5).

Os vermelhos estão aproveitando o espaço

Ao retornar do vestiário, ele deixou os Reds na mesma base, movendo-se em direção ao ataque. Em poucos segundos, Firmino chegou a assinar a duplicação (47) para quebrar. Diogo Jota, extremamente eficaz ao longo do jogo, também esteve perto do segundo golo, mas a trave veio para manter as esperanças de Manconnian. As mudanças de Ole Gunnar Solskjaer deram aos locais um segundo fôlego, especialmente com Greenwood no lado direito do ataque. Mais ofensivamente, o Red Devils estreitou a lacuna de Marcus Rashford (68).

READ  Ronaldo em Paris Saint-Germain sem pagar um euro?

Nos últimos vinte minutos, a bola continuou avançando de um gol para o outro. O Manchester poderia ter voltado ao placar, mas a dupla tentativa de Greenwood (70) atrapalhou os zagueiros, quando Rashford (76) e Bruno Fernandes (79) não marcaram seus golpes. Por fim, foi Mohamed Salah quem aproveitou a jogada ofensiva adversária para ocupar espaço e se ver sozinho diante de Henderson. Al-Masry enganou o porteiro inglês para completar o trabalho de equipe dos Reds (90). Esta vitória permite ao Liverpool regressar a quatro pontos atrás do Chelsea, quarto e último jogo virtual de qualificação para a próxima UEFA Champions League, apesar do jogo tardio. O Manchester United terá de esperar para garantir oficialmente o seu lugar como vice-campeão da Premier League.

Fato da correspondência: sem Maguire, o barco afunda

Se a ausência de Maguire, uma lesão no tornozelo diante do Aston Villa, não é a única explicação para a derrota no Mancon, é parte dela. Ole Gunnar Solksjaer não teve escolha a não ser formar uma dupla em Lindelöf-Bailly, mas diante da pressão implacável dos Reds, os dois jogadores cometeram muitos erros. Os aumentos fracassados ​​que deram ao Liverpool oportunidades claras. A falta de realismo em Gota (33) ou Alexander Arnold (62 e 69) permitiu que o Manchester United esperasse por uma partida que teria fracassado muito antes.

Jogador: Roberto Firmino, finalmente o artilheiro

Ele não marca desde 28 de janeiro, durante a vitória do Liverpool sobre o Tottenham (1-3). Firmino finalmente encontrou a grade. Com apenas oito gols marcados nesta temporada, incluindo dois na quinta-feira, o brasileiro pode estar em sua pior temporada sob as cores dos vermelhos. Mas o jogador sabe como aumentar o nível de seu jogo quando as apostas são altas. Ele fez isso na quinta-feira contra o Manchester United ao marcar dois (45 + 5 e 47), permitindo que seu time continuasse sua fé na qualificação para a Liga dos Campeões. Ele poderia até fazer outro gol no início da partida aproveitando a chance, mas preferiu tentar o passe para Jota (o terceiro), que acabou sendo bloqueado por Williams, que também poderia ter concedido um pênalti. Sem dúvida, o homem do jogo.

READ  França-Portugal, Euro 2021: a que horas e em que canal?

18

Foi assim que Bruno Fernandez marcou nesta temporada. O maior total em uma temporada para um jogador do Manchester United desde a saída de Sir Alex Ferguson.

You May Also Like

About the Author: Lucinda Lima

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *