O estudo descobriu que os raios podem ajudar no surgimento de vida na Terra

Lightning conseguiu economizar fósforo suficiente ao atingir a Terra para contribuir para o surgimento de vida, de acordo com um estudo publicado nesta terça-feira, que oferece um cenário alternativo ao geralmente aceito.

O fósforo é parte essencial da vida como a conhecemos, pois auxilia na formação das estruturas básicas das células e na dupla hélice do DNA e do RNA.

Há bilhões de anos, a maior parte do fósforo estava selada em minerais insolúveis na jovem Terra.

Mas um de seus minerais, a shripersita, é altamente reativo e pode fornecer fósforo que é usado para formar moléculas orgânicas.

Como a maioria dos musaranhos encontrados na Terra vem de meteoritos, eles costumam ser associados ao surgimento de vida. Mas o shripersite foi encontrado em rochas semelhantes a vidro derretido produzidas por raios atingindo alguns solos ricos em argila.

Pesquisadores americanos e britânicos usaram técnicas de imagem avançadas para analisar a quantidade de rochas produzidas por raios.

Eles então estimaram a quantidade de shripersite que pode ter sido produzida nas eras anteriores ao surgimento da vida e ser vista na Terra há cerca de 3,5 bilhões de anos.

“Raios na jovem Terra podem ter produzido uma grande quantidade de fósforo”, disse à AFP Benjamin Hess, principal autor do estudo e pesquisador do Departamento de Ciências da Terra e Planetárias da Universidade de Yale.

Ele e colegas estimam que o raio pode produzir entre 110 e 11.000 kg de fósforo por ano, de acordo com o estudo publicado na Nature Communications.

Usando simulações climáticas nas primeiras idades da Terra, eles concluíram que o raio excedeu a queda do meteorito em termos de entrada de fósforo há cerca de 3,5 bilhões de anos. Uma era que corresponde ao surgimento da vida.

READ  Lebanon begins an all-day curfew as the virus spreads out of control

De acordo com o Sr. Hess, isso não significa que os meteoritos não contribuíram para o surgimento da vida, mas sim “quanto mais fontes, melhor”.

Ele agora gostaria de saber se esse mesmo raio poderia ter produzido fósforo em outros planetas onde as quedas de meteoritos eram raras.

“A queda de meteoros diminuiu com o tempo, enquanto a produção de relâmpagos, pelo menos na Terra, tem sido razoavelmente constante ao longo dos tempos.”

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *