O escudo de James Webb continua a ser implantado após dois problemas

O telescópio, que custou US $ 10 bilhões e é o maior e mais poderoso observatório astronômico já lançado, voou em 25 de dezembro da Guiana Francesa. (Foto: Getty Images)

Cabo Canaveral – O novo telescópio espacial da NASA está prestes a completar a parte mais perigosa de sua missão – posicionar e esticar o escudo térmico – já que as unidades de controle terrestre da NASA resolveram dois problemas.

O escudo térmico do Telescópio Espacial James Webb, do tamanho de uma quadra de tênis, está agora totalmente aberto e tenso. O processo está previsto para terminar na quarta-feira.

O telescópio, que custou US $ 10 bilhões e é o maior e mais poderoso observatório astronômico já lançado, voou em 25 de dezembro da Guiana Francesa. O escudo térmico e o espelho principal tiveram que ser dobrados para entrar no míssil europeu Ariane.

O escudo térmico é necessário para manter os sensores infravermelhos em temperaturas abaixo de zero, que varrem o universo em busca das primeiras estrelas e galáxias.

A extensão do escudo térmico na última sexta-feira “foi uma grande conquista para nós”, disse o gerente de projeto Bill Ochs. Todos os 107 motores foram desbloqueados corretamente.

Mas houve alguns obstáculos.

Os controladores de vôo em Maryland tiveram que reiniciar os painéis solares para absorver mais energia. A engenheira Amy Lo, da Northrop Grumman, principal subcontratante do telescópio, explicou que o observatório – considerado o sucessor do antigo Telescópio Espacial Hubble – nunca esteve em perigo, pois recebia um fluxo constante de energia.

Eles também reorientaram o telescópio para impedir que a luz do sol alcance seis motores superaquecidos. As autoridades disseram que os motores esfriaram o suficiente para começar a implantar o escudo, um processo de três dias que pode ser interrompido se o problema persistir.

See also  Ratchet & Clank Rift Apart: Talvez o PS5 tenha seus melhores recursos exclusivos

“Tudo voltou ao normal e está indo bem”, disse a Sra. Lu.

O gerente de projeto Ochs espera que o resto da tensão vá sem problemas.

“A melhor coisa que pode nos acontecer é o tédio. Isso é o que esperamos nos próximos três dias: tédio”, disse ele a repórteres em uma teleconferência.

Nesse caso, o espelho folheado a ouro do telescópio, que tem um diâmetro de mais de 6,5 metros, pode entrar no ar ainda neste fim de semana.

Espera-se que Webb alcance seu destino a 1,6 milhão de quilômetros da Terra até o final de janeiro. Na segunda-feira, o telescópio já havia passado da metade do caminho.

O telescópio usa um detector guiado com precisão, um imageador sem fenda e um espectrômetro de infravermelho próximo, um instrumento que permitirá aos astrônomos observar galáxias distantes e estudar a atmosfera de exoplanetas.

Ambas as ferramentas são projetadas e construídas no Canadá.

Em troca de sua contribuição para o telescópio, o Canadá tem a garantia de ter pelo menos 5% do tempo de observação do telescópio, assim que os dados começarem a chegar.

O telescópio infravermelho deve começar a observar o universo no final de junho, eventualmente revelando as primeiras estrelas e galáxias que se formaram no universo 13,7 bilhões de anos atrás. Passaram-se quase 100 milhões de anos após o Big Bang que criou o universo.

Lançado em 1990, o Hubble, que vê principalmente a luz visível, foi rastreado 13,4 bilhões de anos atrás. Os astrônomos esperam preencher essa lacuna com Webb, que é 100 vezes mais poderoso.

E com mais boas notícias, as autoridades disseram na segunda-feira que esperam que Webb dure muito mais do que o planejado originalmente, dada sua eficiência energética.

See also  Bom plano - Samsung Galaxy Z Fold 3 é uma grande promoção de vendas

You May Also Like

About the Author: Octávio Florencio

"Evangelista zumbi. Pensador. Criador ávido. Fanático pela internet premiado. Fanático incurável pela web."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *