Na ciência, as mulheres ainda estão sub-representadas

De acordo com um estudo da UNESCO, as mulheres ainda estão sub-representadas entre os pesquisadores ao redor do mundo, uma grande minoria nas profissões científicas, sob o risco de “perder o barco dos empregos de amanhã”.

Eles representam apenas 28% dos graduados em engenharia, 40% dos graduados em ciência da computação e 22% dos profissionais de IA …, de acordo com um trecho de um relatório de ciências, previsto para abril, mas a UNESCO publica o capítulo de gênero na ocasião Dia Internacional das Mulheres e Meninas na Ciência em 11 de fevereiro.

Os autores enfatizam que as mulheres em particular ainda são uma minoria em tecnologia da informação digital, computação, física, matemática e engenharia, “isto é, muitas das disciplinas centrais da Quarta Revolução Industrial e os portadores das carreiras de amanhã.”

No entanto, as mulheres muitas vezes trabalham em ocupações ameaçadas por esta revolução. De acordo com um estudo realizado em 2011-2017 na Inglaterra, eles detinham 70% dos empregos com alto risco de automação e apenas 43% dos empregos menos ameaçadores, lembra o relatório.

Acrescentam que a sua sub-representação na profissão científica “é ainda mais problemática devido à falta de competências em muitas destas áreas, especialmente no setor da inteligência artificial”.

“Ainda hoje, no século XXI, mulheres e meninas estão sendo mantidas fora dos campos relacionados à ciência por causa de seu gênero”, disse Audrey Azoulay, Diretora-Geral da Agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura. Comunicado de imprensa.

“As mulheres devem saber que podem se destacar em ciência, tecnologia, engenharia e matemática, e que têm o direito de participar do progresso científico”, disse Azoulay.

See also  The nearly 500 stars of the Milky Way are actually a family

No entanto, as médias globais escondem algumas variações interessantes.

A Argélia pode se orgulhar de 48,5% dos engenheiros e 48,9% das mulheres em TIC, Benin 54,5% são engenheiros e 55,1% das mulheres em TIC, enquanto a Suíça lidera com 16% e 9,9%, respectivamente, os Estados Unidos com 20,4%. E 23,6 %, Holanda 23,6%, 1%, 14,5% …

Na verdade, a proporção de mulheres entre os graduados em engenharia está abaixo da média global em muitos estados membros da OCDE (Austrália: 23,2%, Canadá: 19,7%, Chile: 17,7%, República da Coreia: 20,1%, França: 26,1%. Japão: 14,0%)

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *