Minneapolis | A polícia agrediu jornalistas durante uma manifestação

(Brooklyn Center) A polícia prendeu vários jornalistas na sexta-feira nos subúrbios de Minneapolis, EUA, durante manifestações para protestar contra o assassinato de Don Wright, um jovem negro que foi morto por um policial branco no domingo.


France Media

Quase 500 pessoas se reuniram nos portões da delegacia de polícia do Brooklyn, a cerca de dez quilômetros de Minneapolis, pela sexta noite consecutiva de manifestações após a morte de Dawn Wright no domingo, que foi morta durante um controle regular de tráfego.

Também em andamento nesta grande cidade do norte dos Estados Unidos o julgamento de Derek Chauvin, o ex-policial branco acusado de matar George Floyd no ano passado.

Pouco antes de as autoridades imporem um toque de recolher às 22h, a polícia ordenou que a multidão se dispersasse por um alto-falante antes que dezenas de policiais de choque fossem enviados.

PHOTO CHANDAN KHANNA, agência de notícias francesa

Em torno dos manifestantes que ali permaneceram, a polícia usou spray de pimenta em vários jornalistas que claramente se identificaram como tal.

A imprensa também foi impedida de permanecer no sistema de armadilhas montado pela polícia para documentar as prisões em andamento.

Para escapar desse sistema, os jornalistas também foram obrigados a tirar suas fotos, junto com seus documentos de identidade, pela Polícia Estadual de Minnesota.

Depois de uma queixa apresentada por vários jornalistas e seu sindicato, o juiz havia emitido no início do dia uma ordem de restrição temporária contra a polícia do Brooklyn Center.

De acordo com a decisão, que foi divulgada publicamente, a polícia está proibida de “prender ou ameaçar prender”. […] Qualquer pessoa que eles conheçam ou tenham motivos para acreditar é jornalista. ”

See also  Um mestre em engano, ela esconde um esqueleto em sua antiga casa

Eles também estão proibidos de usar força física, bem como granadas de atordoamento, bastões ou mesmo “agentes químicos” como spray de pimenta contra jornalistas.

“Após comentários da mídia, e dada a recente (liminar), a Polícia do Estado de Minnesota não fotografará mais jornalistas”, respondeu no sábado em um comunicado à Minnesota Operation Safety Network, um conjunto de várias ordens para as forças que lidam com manifestações em torno do Derek Chauvin tentativas.

A Polícia do Estado de Minnesota também alega que “forneceu a seus oficiais” instruções para a liminar emitida na sexta-feira, e que também “as forneceu a outras agências de aplicação da lei” presentes nos protestos no Brooklyn Center.

O jornal US Press Freedom Tracker denunciou “pelo menos 7 agressões e 3 prisões / prisões de jornalistas que cobriam protestos” desde domingo no Brooklyn Center.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *