Mais cooperação internacional para proteger os oceanos – EURACTIV.com

A cooperação internacional é mais do que necessária para enfrentar os desafios globais relacionados aos recursos marinhos. O aquecimento dos oceanos exige a intervenção dos países do mundo, segundo o Ministro dos Assuntos Marítimos de Portugal.

Entre as figuras emblemáticas da história de Portugal está o explorador Vasco da Gama. Como um navegador genial, deu um grande contributo para a riqueza e o desenvolvimento da nação peninsular.

Atendendo a que os oceanos ocupam uma posição dominante no passado e no futuro do país, não há dúvida que o seu estado está no centro das preocupações do ministro português dos Assuntos Marítimos, Ricardo Serão Santos.

«Temos apenas um oceano que sofre o impacto da turbulência humana, ou seja, de origem humana“, não disse. Por isso, a Europa deve intensificar os seus esforços cooperativos para garantir a gestão racional dos oceanos.

Como biólogo marinho e ex-legislador da Comissão das Pescas do Parlamento Europeu (PECH), Serrão Santos sublinhou que a poluição por plásticos e a sobrepesca são apenas a ponta do iceberg.

Segundo ele, a acidificação e a perda de oxigênio são um grande problema, pois causam o aquecimento dos oceanos e desorganizam todo o mundo aquático.

Neste contexto, o aumento da temperatura da água não é questão de apenas um país. A comunidade internacional deve ser mobilizada aqui.

Desde 2015, as coisas parecem estar mudando um pouco: proteger os oceanos se tornou uma meta dentro da Organização das Nações Unidas (ONU).

«Como cientista marinho, fiquei profundamente surpreso e quase alarmado com a pouca importância dada aos oceanos no Acordo de Paris sobre Mudanças Climáticas.O ministro destacou, lembrando que o conceito de “Aquecimento globalFoi selado por um oceanógrafo.

See also  Bélgica e Holanda estão se divertindo, e Portugal está com medo

Além das deficiências do Acordo de Paris, A primeira avaliação global dos oceanos Foi implementado pelas Nações Unidas em 2015, enquanto Relatório especial sobre os oceanos e a criosfera O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) em 2019.

«Agora parece que os governos de todo o mundo estão prontos para agir. Eles são mais ambiciosos e perguntam sobre metas [plus stricts]. »

conhecimento não é suficiente

Para Cerao Santos, o conhecimento científico é a chave para garantir o caráter eficaz e sustentável das dietas. Ao fazer isso, também ajuda a tornar as comunidades costeiras em todo o mundo justas e equitativas.

«No entanto, a ciência não é suficiente sem bom sensoEle observou, argumentando que os cientistas podem certamente oferecer cursos de ação, mas que cabe às autoridades trabalhar para alcançá-los.

De plus, la desinformation sur le milieu marin représente un autre défi qu’il convient d’aborder à l’échelle internationale afin d’instruire la população, étant donné that le sérail politique et scientifique ne a decisão deveirit pa né des processan voirit Em esta área.

economia azul

Os oceanos são uma das principais prioridades do programa Green Deal da Europa, e os ministros da pesca reuniram-se na terça-feira (8 de junho) para desenvolver uma política marinha integrada. caso a seguir.

Conforme previsto pelo ministro português, a declaração final sobre o assunto dividir-se-á em quatro objectivos: os oceanos essenciais à vida; proteção e preservação; atenuação. e uma economia sustentável, azul, equitativa e inclusiva.

EU ‘economia azul É um sistema econômico que visa a exploração sustentável dos recursos dos setores marinho e offshore.

O impacto da energia eólica offshore, especialmente das fazendas eólicas offshore, nas fazendas de peixes também levanta muitas preocupações.

See also  Frango de Inspiração Portuguesa: Frango Oli

«A situação está tensa, é claro. O tema deve ser discutido levando-se em consideração todas as atividades econômicas marinhas, incluindo pesca, turismo e aquicultura. No entanto, acho que os parques eólicos darão um grande impulso à transição ecológica.’Argumentou o ator português.

Segundo ele, suas repercussões podem ser minimizadas com foco no ordenamento do território marinho e nas consultas públicas.

«Também acredito que a energia eólica offshore pode ser benéfica para as fazendas de peixes, pois criará áreas proibidas para a pesca que podem servir como reservas protegidas.Ele acrescentou que os parques marinhos preferem agrupar organismos em um só lugar – algas, corais e mexilhões. O lugar perfeito para pescar.

Cuidado com a aquicultura

A aquicultura é outro componente da economia azul. Embora Portugal não esteja particularmente envolvido nesta atividade, Serrão Santos percebe que poderá ser útil se o setor puder aprender as lições do passado.

«A aquicultura não é a personificação do demônio“, Disse ele, ao explicar que os países o usaram mal no passado.

Na verdade, as florestas de mangue que crescem nos trópicos foram destruídas para dar lugar ao cultivo de camarão. Neste contexto, o Ministro considera que se deve chamar a atenção para a aquicultura “não alimentar” e politrófica.

Sobrepesca, um desastre ecológico no Mar Negro

Os estoques de peixes no Mar Negro estão diminuindo e as consequências da pesca comercial são cada vez mais prejudiciais ao meio ambiente. O resultado atrai a atenção de ONGs e legisladores europeus. Artigo porEuractiv Bulgária.

Fim dos subsídios perversos

Questionado sobre a reunião da Organização Mundial do Comércio (OMC) para se centrar na eliminação dos subsídios prejudiciais às pisciculturas, o Sr. Serrão Santos respondeu que o problema foi resolvido a nível europeu graças à recente reforma da Política Comum da Pesca (PCP).

See also  Lopez teme "fracasso total" se não se classificar para a Liga dos Campeões

Os subsídios perversos referem-se a subsídios públicos para construção naval e outros investimentos na capacidade pesqueira; Fatores que desempenham um papel importante na caça furtiva.

«Anteriormente, o CFP resultava em excesso de energia. Mas os novos regulamentos não permitem mais o apoio público na construção de novos barcos. Além disso, agora existem limitações no aumento da capacidade [de la pêche]. »

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *