Luz no fim do túnel? – Dentro do GP

Miguel Oliveira e Danilo Petrucci terminaram o primeiro dia do Grande Prêmio de Doha entre os dez primeiros. Finalmente, um bom sinal para o Clã KTM, que está ausente do grupo líder desde o início da temporada.

A KTM lutava muito no Circuito de Losail e deu início à sua temporada de 2021 no Grande Prêmio do Qatar, contestando sua pior competição de fim de semana desde 2019: praticamente não há piloto qualificado no segundo trimestre e nenhum piloto entre os dez primeiros na corrida . O fato de ela estar voltando ao mesmo caminho uma semana depois de fazer seu trabalho não era que, dada a dinâmica, tivéssemos que esperar um milagre para deixar as laranjas levantarem seriamente a cabeça.

O milagre ainda não aconteceu, mas o caminho que percorri no início do Grande Prêmio de Doha neste final de semana é o certo. Na sexta-feira, Miguel Oliveira (11) e Danilo Petrucci (12) deram um salto no FP2: O português repetiu o seu tempo nas eliminatórias no sábado passado, enquanto o italiano quebrou a sua melhor aqui com a KTM. Eles perderam 30 e 55 pontos para ir direto para o segundo quarto.

“É sempre muito frustrante perder os dez primeiros, nem mesmo os dez, mas ao mesmo tempo estou feliz por progredir.”Danilo Petrucci exulta. “Estou feliz, mas não satisfeito. Temos algumas melhorias boas. Temos que continuar assim. Existem algumas áreas que ainda precisamos melhorar, mas este é o nosso melhor dia na turnê.”

Para um piloto da Tech3, é imperativo dar tempo ao tempo, especialmente para dar-lhe tempo para tomar suas pontuações no KTM RC16. “Tenho de me habituar à moto para encontrar os limites e depois podemos lutar por lugares melhores.”, Confirma.

READ  Ucraniano apanhado a conduzir embriagado acusando o PSP de Vila de Conde de agressão, perseguição e xenofobia - Portugal

“Desde o primeiro dia, nunca usei a mesma moto em todas as sessões. Sempre tento algo diferente e, para a KTM, é também a primeira vez que tentam algo realmente diferente porque nunca tiveram um piloto de peso.”

“É uma questão de afinações. O meu peso é um pouco mais pesado do que os outros pilotos, por isso tenho de adaptar a moto ao meu estilo. Queria ter mais aderência geral, nos travões e na entrada da curva, por isso trabalhámos muito Temos que continuar a usar uma boa tração. Demais para a moto, mas ainda não estamos onde queremos estar, mas estamos chegando perto. “

Danilo Petrucci: “A KTM fez muitas anotações sobre o que eu disse”


You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *