Lontras aquecem sem esforço | ciência | notícias | o sol

sDe acordo com este estudo publicado na revista Ciência, O menor mamífero marinho da América do Norte possui um sistema único de conversão de energia quando outros mamíferos se aquecem ativando seus músculos por meio de esforço ou tremores involuntários. A pele à prova d’água das lontras pode limitar a perda de calor, mas não o suficiente para sobreviver nas águas resistentes à água do gelo marinho do Alasca, seu principal habitat, disse à AFP o autor principal Traver Wright, da Texas A&M University.

Os cientistas já sabiam que as lontras, que pertencem à família dos mustelídeos, queimam muita energia, cerca de três vezes a dos mamíferos do mesmo tamanho, e podem consumir até 25% de sua massa corporal por dia. Mas ainda não se sabe quais tecidos usam essa energia e como ela é convertida em calor.

Wright e seus colegas coletaram amostras de músculos de lontras marinhas que morreram ou foram coletadas pelo Aquário da Baía de Monterey, que as processa antes de serem soltas. Em seguida, eles mediram o consumo de oxigênio.

Faça uma pausa sem fazer nada

Geralmente, os animais produzem calor ativando seus músculos, mas nas lontras, a maior parte da energia metabólica produzida pelos açúcares e gorduras é usada para fornecer ao corpo o calor dos músculos, sem a necessidade de contração.

“Eles são muito bons em produzir calor sem fazer nada”, explicou o Dr. Wright. Essa energia seria desperdiçada em mamíferos terrestres, como os humanos, “mas se você é um animal que quer se aquecer, essa energia ‘desperdiçada’ é boa” para manter uma temperatura de 37 graus Celsius em água gelada, A- acrescentou .

READ  A Reabertura das Academias: Uma Proposta Científica

Essa habilidade está presente nas lontras desde o nascimento, independentemente de serem selvagens ou em cativeiro. Como outros mamíferos marinhos, eles poderiam ter desenvolvido quando seus ancestrais foram para o mar há 50 milhões de anos, mas essa hipótese precisa ser confirmada por pesquisas futuras.

De acordo com Traver Wright, o conhecimento do metabolismo das lontras pode ajudar a tratar a obesidade em humanos. “Se pudermos aumentar a produção (de calor) e o metabolismo basal, podemos teoricamente estimular o metabolismo humano e fazê-los queimar mais calorias”, explicou, “mesmo sem exercícios”.

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *