Juventus empatada pelo Torino na Série A

A vitória era necessária para evitar a crise que se aproximava e, acima de tudo, arrebatar a Atalanta Bergamo pelo terceiro lugar na Série A. Mas a Juventus não tinha pernas, nem ideias, nem time para garantir o sucesso, e deixou dois pontos para serem perdidos na noite de sábado diante do Torino (2-2), em uma partida que poderia ter sido perdida também sem o gol de nove minutos após o final de Cristiano Ronaldo. O golo português n.º 24 nesta temporada não esconde as lacunas da sua equipa, que perdeu antes do intervalo para o Benevento, e que foi travado pelo Torino, que luta para mantê-lo.

Os bianconeri estão lutando para mostrar algum progresso no jogo sob o comando de Andrea Pirlo. O treinador tentou mudar de time, deixando Rabiot no banco a princípio com a dupla Danilo-Bentancur na frente da defesa, e lançou quatro atacantes aos onze (Kulusevsky, Chesa, Ronaldo e Morata), mas as intenções não foram o suficiente.

Depois das vitórias do Napoli e da Atalanta, um pouco no início da tarde, a Juventus não teve escolha senão se queria manter o ritmo da corrida pela Liga dos Campeões. Faltou muito do material, no entanto, de precisão técnica e dureza defensiva, e sofreu dois gols que inevitavelmente complicam seus negócios.

Ronaldo evita o pior

O destino apareceu pela primeira vez a seu lado, quando o árbitro não deu um pênalti claro para Turin pela falta de De Ligt sobre Belotti (8). Poucos minutos depois, Federico atirou Chiesa, entrou na grande área e colocou a bola entre as pernas do Serego: a Juventus, já na frente, parecia ter feito mais duro (1-0, 13). Mas ela realmente não sabe como administrar o resultado desta temporada, e logo o Torino retorna à partida, e depois ao resultado, quando Sanabria assume com uma cabeçada de Chesney (27).

READ  O escritor Eduardo Lorenzo morreu

Diante de uma Juventus mal organizada, onde o portador da bola muitas vezes parecia não saber o que fazer com ela, Torino aproveitou a vantagem logo após o intervalo: Kolosewski deu um passe para trás ruim, que se tornou um serviço de ouro para Sanabria ( 2–1, 46). A Juventus confiscou a bola, mas lutou para ser realmente perigosa e levou toda a ira inevitável de Cristiano Ronaldo para abrir o placar. O português cabeceou de cabeça após cobrança de falta de Cuadrado, puxou para trás, o gol foi rejeitado por impedimento e depois verificado logicamente pelo vídeo-árbitro assistente, dois minutos depois (2-2, 81). Duas defesas de Chesney então permitiram ao campeão defender um ponto que deveria parecer um pouco leve para ele.

You May Also Like

About the Author: Germano Álvares

"Desbravador de cerveja apaixonado. Álcool alcoólico incurável. Geek de bacon. Viciado em web em geral."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *