incêndios florestais | Grécia se transformou em um “barril de pólvora”, e a crise continua na Turquia

(Avidência) Várias regiões da Grécia continuaram queimando na sexta-feira, uma semana depois de uma onda de calor que transformou o país em um “barril de pólvora”, enquanto a Turquia enfrentava uma situação tão crítica.




WILL VASSILOPOULOS
Agência de mídia da França

Atenas na sexta-feira foi atingida pelo cheiro forte e pela fumaça opaca dos incêndios que recomeçaram no dia anterior no sopé do Monte Barnes, tendo queimado mais de 1.200 hectares desde terça-feira.

As três montanhas que cercavam Atenas desapareceram sob uma névoa densa, assim como o Monte Lycabettus, no meio, também invisível.

Cerca de 30 quilômetros ao norte da capital, a vila de Avidenes estava em chamas durante a noite, deixando um cenário de ruína, carros carbonizados, casas destruídas e árvores carbonizadas, de acordo com jornalistas da AFP.

FOTO THANASSIS STAVRAKIS, Jornalista Associado

Moradores da vila de Avidens assistem ao incêndio de uma casa.

Perto dali, em Krioneri, casas, empresas e fábricas foram incendiadas. “O fogo está fora de controle. Não quero ir embora, minha vida inteira está aqui”, diz Vasiliki Papapanagiotis.

Parte da rodovia que liga o norte ao sul foi cortada por precaução enquanto 2.000 migrantes foram evacuados do acampamento perto de Ritsuna. Pelo menos 450 bombeiros gregos tentavam chegar ao fim do incêndio, com a ajuda de recursos aéreos e terrestres e de reforços franceses, suecos, romenos, suíços, israelenses e cipriotas.

“Condição crítica”

“Nosso país está enfrentando uma situação muito crítica”, disse o primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, na noite de quinta-feira, diante de dezenas de incêndios que devastaram a Grécia por uma semana sob a influência de altas temperaturas.

FOTO THANASSIS STAVRAKIS, Jornalista Associado

Os proprietários desta casa monitoram os danos causados ​​pelo incêndio na vila de Drosopigi, cerca de 28 km ao norte de Atenas, na Grécia.

“Estamos enfrentando circunstâncias sem precedentes, já que vários dias de uma onda de calor transformaram o país inteiro em um barril de pólvora”, acrescentou ele em um discurso de emergência televisionado.

See also  Fique calado ou diga a verdade?

Com temperaturas oscilando entre 40 e 45 graus Celsius, Grécia e Turquia estão experimentando uma onda de calor excepcional, a “pior” para os gregos em mais de trinta anos, de acordo com Mitsotakis.

Nos dois países vizinhos, as florestas estão em chamas, os incêndios destruíram casas e empresas e centenas de residentes e turistas foram forçados a evacuar.

No lado turco do Egeu, 208 incêndios foram contabilizados desde o final de julho, dos quais 12 ainda estão em andamento e 196 foram controlados, de acordo com a presidência turca.

Do lado grego, o vice-ministro da Proteção Civil, Nikos Hardalias, estimou que 56 dos 99 incêndios contados na quinta-feira ainda estavam ativos na sexta-feira.

Oito pessoas morreram e dezenas foram hospitalizadas no sul da Turquia. Na Grécia, um residente do norte de Atenas foi morto por uma queda de um poste de eletricidade e 18 pessoas ficaram feridas, incluindo dois bombeiros voluntários em estado crítico.

‘Um momento muito triste’

“É um momento muito triste”, disse à AFP Konstantinos Konstantinidis, morador de Korkoloy, uma das 20 vilas evacuadas da ilha grega de Evia, 200 quilômetros a leste de Atenas.

No sul do Peloponeso, na cidade turística de Gythio, 5.000 residentes e turistas também foram convidados a deixar suas acomodações e se dirigir a uma cidade próxima, segundo a emissora pública de televisão ERT.

Na Turquia, no porto de Oren, Hulusi Kinic se recusou na quinta-feira a seguir centenas de moradores que foram evacuados por mar das proximidades da Estação Termal Milas, no sudoeste do país.

FOTO EMRE TAZEGUL, Associated Press

Os residentes de Milas, no sudoeste da Turquia, tiveram que evacuar devido a um incêndio florestal.

“Onde você quer que a gente vá no nosso tempo?” pergunta o aposentado de 79 anos.

See also  O Catar não operará o aeroporto de Cabul sem um acordo "claro" com o Talibã

O incêndio que se aproximou perigosamente da usina térmica local, que abriga milhares de toneladas de carvão, foi extinto, segundo a prefeitura de Mugla.

A corrida contra o fogo continuou na sexta-feira às 10 horasNS No dia da crise, em cinco províncias turcas, incluindo as regiões turísticas de Antalya e Mugla, onde ocorreram novas evacuações, segundo a NTV.

Em Atenas, mensagens de texto alertavam os viajantes e gregos sobre “extremo perigo de incêndio nos próximos dias”.

As autoridades proíbem “o acesso a florestas e áreas florestais” e aconselham “para evitar todos os deslocamentos” devido à poluição do ar na capital grega.

O Observatório de Atenas advertiu que a qualidade do ar era “ruim”. Com o rosto coberto para se proteger de partículas nocivas, alguns turistas enfrentaram o clima sufocante para escalar a Acrópole, antes que ela fechasse ao meio-dia devido a uma onda de calor.

You May Also Like

About the Author: Hermínio Guimarães

"Introvertido premiado. Viciado em mídia social sutilmente charmoso. Praticante de zumbis. Aficionado por música irritantemente humilde."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *