Espanha e Portugal .. Cuidado, os procedimentos de retorno à França estão mudando

O governo continua sua luta contra o vírus e sempre incentiva explicitamente os franceses a se vacinarem. Porque depois dos anúncios de Emmanuel Macron na segunda-feira 12 de julho e da prorrogação da autorização de saúde em muitos lugares ou no transporte, os franceses sem dúvida entenderam isso, será necessário vacinar para um verão “tranquilo”. Se muitos decidirem ir para a França este ano, os países europeus continuam abertos, sujeitos ao Cartão de Saúde Europeu, mas os procedimentos oficiais mudam para os viajantes em férias na Espanha ou Portugal, mostra. Le Figaro.

Nestes dois países onde o vírus está se espalhando ativamente e onde novas restrições foram impostas em certas províncias ou regiões, os viajantes não vacinados agora terão que justificar os novos testes. O Ministro de Estado dos Assuntos Europeus, Clement Bonn, insistiu que “entre os países classificados como verdes, Espanha e Portugal serão sujeitos a uma monitorização reforçada: o teste inicialmente exigido deve ser inferior a 24 horas para os não vacinados”.

>> Para ler também – Viajar para os EUA, pagar PCRs … Secretário de Estado do Turismo responde à Capital

Quais destinos evitar?

Ao contrário da Tunísia, que está na lista vermelha, os dois países não estão “em perigo”, mas cabe aos franceses tomarem cuidado. Porém, no dia 9 de julho, Clement Bonn proferiu um discurso preocupante sobre os dois países ibéricos: “Quem ainda não reservou as férias, evita Espanha e Portugal nos seus destinos, é uma palavra de cautela. É uma recomendação sobre a qual insistem que é melhor ficar na França. “Ou ir para outros países.

No entanto, é possível, em alguns casos, cancelar ou modificar o seu voo, dependendo das companhias aéreas selecionadas, se você considerar os novos procedimentos muito restritivos. Se os não vacinadores sempre podem sair e, portanto, fazer apenas um teste antes de voltar, a situação é mais complicada para quem toma apenas uma dose, por exemplo, observa Le Figaro. Até então, deveriam apresentar teste de PCR negativo em menos de 72 horas ou antígeno em menos de 48 horas. A partir de agora, são 24 horas pagas. A entrada em vigor destas novas formalidades ainda não foi oficialmente determinada.

See also  A lucrativa empresa que produziu milhões de euros para Cristiano Ronaldo

You May Also Like

About the Author: Irene Alves

"Bacon ninja. Guru do álcool. Explorador orgulhoso. Ávido entusiasta da cultura pop."

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *